cab la liga espanha

O Barcelona está a realizar uma excelente época e pode este ano voltar à ribalta do futebol europeu, com a conquista da La Liga, da Taça do Rei e da Liga dos Campeões, competições que vai atacar como a equipa favorita à vitória, tendo em conta o nível exibicional que a turma de Luis Enrique tem vindo a desenvolver em termos recentes. Um dos fatores que mais tem abonado a favor dos blaugrana é o entrosamento entre o seu tridente ofensivo: Lionel Messi, Luis Suárez e Neymar (ou, mais precisamente, MSN, como são conhecidos hoje em dia pelo mundo do desporto-rei).

Estes três astros do futebol mundial contabilizam mais de 100 golos esta época em todas as competições, especificamente 108 até ao momento, e já superaram o anterior melhor trio atacante da história do Barcelona no que a fazer balançar as redes da baliza adversária diz respeito (Henry, Eto’o e Messi em 2008/09, com 100 tentos). As contas são fáceis: 51 golos de Messi, 33 de Neymar e 24 de Suárez, sendo que ainda faltam algumas partidas para a temporada terminar, o que torna bem previsível o aumento destes números astronómicos.

As características do futebol destas três estrelas assemelham-se de forma exímia e a mudança no estilo de jogo do Barça de Luis Enrique, primando agora por um futebol mais ofensivo e prático do que o tão bem conhecido tiki-taka, implementado por Pep Guardiola no seio dos catalães, beneficia o potencial individual destes três jogadores. O jogo blaugrana já não é tão mastigado e paciente a meio-campo, mas sim mais atrativo e com maior rapidez a chegar à área contrária. Os jogadores com pendor atacante gozam hoje de uma maior liberdade do que no poderoso Barcelona do tempo de Guardiola, onde era bem improvável de acontecer o uso do contra-ataque, apostando na velocidade dos jogadores culés mais dianteiros.

Esta tripla tem evidenciado uma tremenda melhoria de rendimento e entrosamento com o decorrer da época, estando agora a um nível absolutamente fantástico e com um rendimento bastante elevado, o que não sucedeu desde o início da mesma.

Sempre a somar: Messi, Suárez e Neymar levam 108 golos na presente época Fonte: Facebook do Barcelona
Sempre a somar: Messi, Suárez e Neymar levam 108 golos na presente época
Fonte: Facebook do Barcelona

Lionel Messi é hoje um jogador diferente do que era até há pouco tempo. O argentino privilegia agora o coletivo ao individual, tendo percebido que dessa forma tanto a sua equipa como ele próprio saem beneficiados. Não só marca golos de toda e qualquer forma e feitio, como também assiste de maneira exímia – conta 29 passes para golo na presente temporada. Além disso, mantém-se a estrela máxima da equipa, aliando uma total liberdade em campo e uma qualidade de último passe temível e um instinto goleador como poucos revelam, às suas habituais incursões do corredor direito para o centro em drible, as quais já nos permitiram assistir a alguns dos melhores golos do camisola 10.

Por seu turno, Neymar atribui ao futebol catalão a fantasia e o brilhantismo brasileiro, e o seu entendimento com Messi tem vindo a desenvolver-se de forma imaculada, com o resultado à vista de todos. Os seus dribles, fintas e qualidade técnica a roçar a perfeição são um regalo para os amantes do futebol. Não obstante, o “canarinho” tem demonstrado uma total evolução desde a sua chegada a Espanha no que concerne à inteligência tática e ao processo defensivo, aspetos de primordial importância no futebol moderno.

Luis Suárez, ou “Luisito”, foi a nova aquisição para o ataque blaugrana desta temporada. Habituado a marcar golos de forma contínua e natural, os primeiros tempos por Espanha não foram, de todo, fáceis para o uruguaio. Devido à suspensão em jogos oficiais que trazia do Mundial 2014, onde teve ações impróprias (mordidela a Chiellini), apenas fez a primeira partida a contar pelos catalães no mês de outubro. Assim sendo, na primeira metade da época não conseguiu encontrar o seu melhor futebol e aparentava que o investimento logrado pelo Barcelona (81 milhões de euros) nos seus serviços poderia ter sido em vão.

Até que, com a passagem para o ano de 2015, tudo mudou. O melhor de Suárez surgiu e os golos começaram a aparecer. E que golos importantes tem marcado – ao Real Madrid na vitória para o campeonato espanhol ou ao Manchester City e PSG para a Liga dos Campeões, para enumerar alguns exemplos. A movimentação inteligente pelo terreno de jogo, procurando zonas não povoadas pelos seus colegas, levando os defesas adversários a abrirem espaço para as diagonais de Messi e Neymar, a constante luta e “raça” que oferece dentro de campo pela procura da bola, bem ao estilo sul-americano, e o aprimorado faro pelo golo do uruguaio, que também faz do último passe  uma das suas armas (20 assistências na temporada), elevaram de forma absoluta a qualidade de jogo culé. Suárez conseguiu o que outros avançados não alcançaram – exemplo mais claro é o de Zlatan Ibrahimovic, que não teve longa duração na Catalunha – ao lograr entrosar-se com os seus companheiros de ataque e criar o tridente ofensivo mais temido do futebol atual.

A combinação destes três completíssimos futebolistas resulta numa capacidade concretizadora ao nível do que poucas equipas obtêm e certamente que o Barcelona conta com a inspiração desta tripla para as batalhas vindouras (meia-final da Champions com o Bayern de Munique, três derradeiras jornadas de La Liga e final da Taça do Rei ante o Athletic Bilbao) e também para futuros anos, tendo em conta que o clube da Catalunha pretende voltar a elevar-se perante os demais do futebol europeu. Lionel Messi, Luis Suárez, Neymar Jr.: o ataque perfeito. Será este o melhor tridente ofensivo de todo o sempre? No ano civil de 2015 está a ser, mas o final da presente época poderá ditar se estamos mesmo perante um caso sério de sucesso que veio para ficar.

Foto de Capa: Facebook do Barcelona

Comentários