cab la liga espanha

Isco não entrará de início neste sábado no jogo que opõe o Real Madrid ao Athetic de Bilbao; jogará Kovacic. E não sou eu que o digo; foi o próprio Zidane que resolveu divulgar tal informação na conferência de imprensa de antevisão ao jogo, porque diz querer dar descanso a Isco. Vendo o ar surpreendido dos jornalistas perante tal revelação pré-jogo, Zidane acrescentou: “Estou a dizer isto… Porque quero dizer”. Mas eu sei que não é só por isso.

A explicação de Zidane não tem sentido. Isco era muito pouco utilizado com Benítez, nos dois meses anteriores à chegada do treinador francês. Jogou apenas 41 minutos, repartidos por dois jogos. É certo que, desde a mudança de treinador, Isco tem sido sempre titular, mas o Real está a jogar apenas uma vez por semana, ou seja, jogou cinco vezes nas últimas cinco semanas, e em três delas nem sequer fez os 90 minutos. Por que raio é que é necessário dar-lhe descanso? Aos 23 anos não aguenta jogar uma vez por semana? A explicação não cola, e ainda fará menos sentido se considerarmos os tempos de utilização de Modric e Kroos, que, esses sim, talvez agradecessem uma pausa.

Isco celebra um golo com a camisola do Real Madrid Fonte: Facebook Oficial de Isco
Isco celebra um golo com a camisola do Real Madrid
Fonte: Facebook Oficial de Isco

Além disso, Kovacic nem sequer é um jogador com o mesmo perfil que Isco; tem mais características de médio-centro, enquanto Isco é mais desequilibrador e costuma jogar mais descaído para uma ala, embora também possa jogar ao meio. Se a opção de Zidane tivesse como único objetivo dar descanso ao jogador malaguenho, o seu substituto deveria ser alguém com o mesmo estilo de jogo.

Na minha opinião, a verdadeira razão por que Zidane vai trocar Isco por Kovacic prende-se com o reforço do meio campo. O Bilbao, ainda que desfalcado e jogando no Bernabéu, é um adversário mais difícil do que os anteriores que se têm atravessado no caminho do Real nos últimos tempos e parece-me fazer sentido que Zidane pretenda ter alguém a ajudar mais Kroos e Modric no centro do terreno. Mas o Real Madrid é um clube muito especial, em que reconhecer isto poderia não soar bem: por isso, Zidane inventou a desculpa do cansaço e lançou-a já com antecedência, para evitar que começassem a surgir muitas questões amanhã (sábado) quando o onze fosse revelado. Deixar uma estrela no banco (e estamos a falar de Isco, que está longe de ser Ronaldo ou Bale) é mal visto em Madrid, ainda que seja com o objetivo de melhorar o rendimento coletivo.

Anúncio Publicitário

Agora, é esperar que Bale continue lesionado mais tempo. Não que Bale seja mau jogador, obviamente, mas porque jogar com Bale, Benzema, Ronaldo, James e Isco contra equipas mais fortes é um suicídio. Um dos (muitos) azares de Benítez foi ter tido todas as estrelas à disposição na semana em que recebia o Barcelona. Assim, “teve” de entrar com a equipa super ofensiva que os adeptos tanto queriam e abdicar do seu estimado Casemiro. Aquele 0-4 foi o princípio do seu fim.

Foto de Capa: Real Madrid CF