Diz o povo que nunca se deve voltar aos sítios onde já se foi feliz, mas quis o sorteio que o Rio Ave voltasse a Gotemburgo para jogar na Liga Europa. A cidade sueca ficará para sempre na história do clube: acolheu o primeiro jogo, o primeiro golo e a primeira vitória dos vila-condenses em provas europeias e acolheu também a primeira derrota do clube nas competições da UEFA.

Desta vez o adversário era o Elfsborg. O grau de exigência aumentava. O Elfsborg tem mais experiência europeia do que o IFK, é mais forte e joga num relvado sintético. O facto de estarem mais adiantados no campeonato já não fazia tanta diferença a um Rio Ave que já vai com 4 jogos disputados, mas este era um teste bem mais complicado do que o anterior.

Talvez por não estar habituados ao relvado, o Rio Ave nunca se encontrou dentro de campo na primeira parte. Muita passividade na defesa e um controlo total por parte do Elfsborg, que esteve sempre bem mais à vontade do que o Rio Ave. A equipa portuguesa ainda teve algumas tentativas de ataque… que não passaram disso, tentativas. O guarda-redes sueco nunca foi realmente posto à prova, pois o Rio Ave demonstrou muitas dificuldades em chegar à frente. Com isto, o resultado ao intervalo era de 2-0 para a equipa sueca. Prodell, num lance onde a defesa do Rio Ave podia ter feito mais, fez o primeiro aos 27 minutos e Mobaeck, de canto, fez o segundo. Um resultado justo, que recompensava o domínio sueco.

ELFSBORG vs RIO AVE
Marcelo marcou o golo que dá esperanças aos vila-condenses
Fonte: EPA

Nos balneários Pedro Martins deve ter dito alguma aos seus jogadores, pois a atitude foi diferente no segundo tempo. O Rio Ave apareceu muito mais subido, muito mais perigoso, procurando o golo que voltaria a colocar a equipa na luta pela eliminatória. Se na primeira parte assistimos a uma só equipa a criar perigo, na segunda o jogo foi mais partido. E os portugueses tanto procuraram que foram recompensados. Ao minuto 64, Marcelo marcou de cabeça o golo que voltava a fazer o Rio Ave acreditar. O defesa-central está de saída mas continua a ajudar o clube. O golo foi o tónico que o conjunto de Pedro Martins precisava para voltar a crer. Sem nunca baixar os braços este, o Rio Ave voltou a estar mais perto daquele a que nos habituou nestes últimos jogos. Perto do final, Hassan ainda mandou uma bola à barra mas o Rio Ave acabou mesmo por sair da Suécia com uma derrota, ainda que com todas as possibilidades de passar.

Para a próxima quinta-feira, terá de ser este Rio Ave da segunda parte a jogar. A equipa já conhece o Elfsborg e joga no seu estádio. Na Liga Europa, uma primeira parte como a que o Rio Ave realizou paga-se caro. Da mesma forma, os suecos estão avisados para a crença da formação nortenha, que na primeira parte desapareceu, mas que na segunda fez suar os homens da casa. Está tudo em aberto.

Comentários