A CRÓNICA: NEM FOI PRECISO ACELERAR

O Manchester United FC derrotou o Linzer-Athletik-Sport-Klub Linz na primeira mão dos oitavos de final da Liga Europa. O jogo realizou-se em solo austríaco e de portas fechadas devido à nova pandemia que está a abalar o mundo inteiro.

O Linzer Stadion recebeu pela primeira vez o gigante inglês, com os red devils a dominarem o encontro e obtendo um triunfo que não merece qualquer contestação. O LASK não mostrou grande capacidade para incomodar o adversário e nunca foi verdadeiramente perigoso ao longo do jogo. Sem grande engenho para chegar à baliza de Romero, a equipa tentou ligar jogadas, mas percebia-se a dificuldade dos austríacos em ultrapassar a boa organização dos ingleses. Apenas surgiram dois remates interessantes aos 69’ e 74’, embora não tenham causado grande impacto. De resto, um marasmo de ideias, acompanhado de grandes dificuldades defensivas, em que o que mais havia era espaço para os jogadores do Mannchester United FC definirem da melhor maneira.

Acabou por ser uma partida sem grandes níveis de emoção e sem grande história, apesar de terem sido marcados cinco golos, contribuindo Ighalo, Daniel James, Mata, Greenwood e Andreas Pereira para a folha de serviço.

Anúncio Publicitário

Não foi sequer preciso o Manchester United FC carregar muito para sair vitorioso e até chegou a parecer constrangedor o espaço oferecido pelos da casa, que fisicamente pareciam estar em baixo e nem a colocação de três centrais impediu uma goleada. Mesmo sem serem espetaculares e, frente a uma equipa desorientada, pode-se dizer que os ingleses decidiram hoje a eliminatória.

Nota ainda para uma boa atuação de Artur Soares Dias, que teve um jogo sem percalços. Os red devils têm presença marcada na próxima fase e resta aguardar pelo jogo de Inglaterra que apenas servirá para o confirmar.

A FIGURA

Fonte: Manchester United FC

Fred – Sem ter feito uma exibição brilhante, foi daqueles que mais lutou e guiou a equipa. Com ele a receber e a ajudar na construção, a equipa beneficiou também da sua capacidade de passe e Mata que o diga depois de receber um passe de 20 metros que o deixou em ótimas condições para finalizar e assim juntar-se à lista de marcadores.

Os ingleses continuam encantados com Bruno Fernandes que continua a não desapontar:

 

O FORA DE JOGO

Fonte: LASK Linz

LASK Linz – Os austríacos não se mostraram minimamente à altura para enfrentar um adversário desta valia. Ao oferecerem demasiado espaço, viram o United chegar aos golos com relativa facilidade. A segunda parte foi decisiva neste aspeto e a transição defensiva deixou muito a desejar. A imagem que ficou foi de uma formação bastante frágil e sem capacidade para estas andanças.

 

ANÁLISE TÁTICA – LASK LINZ

A atuar num 3-4-3, que passava para uma primeira linha de cinco no momento defensivo, Renner e Reiter eram os homens encarregues de fechar os corredores e não tiveram uma partida feliz, assim como a equipa em geral. O LASK foi um conjunto sem grandes soluções e praticamente ninguém se conseguiu destacar. A esperança estava nos homens da frente e nem mesmo esses mostraram inspiração.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Alexander Schlager (3)
Reinhold Ranftl (3)
Christian Ramsebner (3)
Gernot Trauner (3)
Peter Michorl (4)
James Holland (5)
René Renner (4)
Dominik Reiter (3)
Dominik Frieser (5)
Samuel Tetteh (3)
João Klauss (4)

SUBS UTILIZADOS

Marko Raguz (3)
Husein Balic (3)
Stefan Haudum (2)

ANÁLISE TÁTICA – MANCHESTER UNITED

O conjunto inglês apresentou-se em 4-2-3-1, com Brandon Williams a aparecer no lado direito da defesa, Luke Shaw no lado contrário e Bailly e Maguire no centro. A dupla de meio campo ficou entregue a McTominay e Fred que baixava maioritariamente para receber na fase de construção. Bruno Fernandes era o homem mais adiantado do centro do terreno e o que tentava transportar o jogo para uma nova dimensão, com Mata e James a atuarem pela linha e Ighalo solto na frente de ataque. Estes três últimos, juntamente com Andreas Pereira e Greenwood, fizeram o resultado, aproveitando as facilidades concedidas pelo adversário.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Sérgio Romero (5)
Eric Bailly (6)
Harry Maguire (6)
Luke Shaw (6)
Brandon Williams (5)
Fred (7)
Scott McTominay (5)
Juan Mata (6)
Bruno Fernandes (6)
Daniel James (6)
Odion Ighalo (6)

SUBS UTILIZADOS

Tahith Chong (5)
Andreas Pereira (6)
Mason Greenwood (6)

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão