Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Futebol NacionalO Vitória recebeu e venceu esta quinta-feira o Marselha, em jogo a contar para a quarta jornada do grupo I da Liga Europa. Com apenas um ponto conquistado nos primeiros três jogos, os vimaranenses procuravam a primeira vitória na fase de grupos para se manterem vivos na luta pelo apuramento.

Ainda antes do início da partida destaque para alguns desacatos no Estádio D. Afonso Henriques, com adeptos franceses a saltarem as barreiras de segurança procurando confrontar os vimaranenses. Evra, defesa do Marselha e ex-jogador de equipas como a Juventus e o Manchester United, procurou serenar os franceses, mas acabou igualmente envolvido em confrontos. O internacional francês chegou mesmo a pontapear um adepto da própria equipa, mas acabou por recolher aos balneários acompanhado por dois colegas, entre os quais o português Rolando.

Quanto ao jogo, o Vitória começou melhor, controlando a posse de bola e procurando jogar no meio-campo do Marselha. A equipa de Guimarães esteve mesmo perto do golo quando aos seis minutos de jogo Marcos Valente, já na pequena área, chegou ligeiramente atrasado a um passe na sequência de um livre de Hurtado.

A jogar no habitual 4-2-3-1, com Hurtado solto nas costas do ataque, o Vitória procurou desde cedo o jogo exterior, através das ações de Héldon e Raphinha e da projeção dos laterais. Já o Marselha, sem jogadores como Thauvin, o ex-Benfica Mitroglou ou o lesionado Payet, sentiu algumas dificuldades nos minutos iniciais. O primeiro remate à baliza dos franceses surgiu apenas aos 29 minutos, após uma jogada individual de N’jie, com o camaronês a disparar fraco e à figura de Miguel Silva

Com o avançar da primeira parte os franceses foram crescendo no jogo e equilibrando a posse de bola, sem conseguirem, contudo, criar perigo.

Por outro lado o Vitória ficou perto do golo ao minuto 39, numa grande jogada de Konan que subiu pelo corredor e assistiu Rafael Martins para o coração da área, com o remate a ser desviado por um defesa do Marselha. No minuto seguinte Rafael Martins ficou novamente perto do golo, mas chegou ligeiramente atrasado a um cruzamento largo da direita

O Marselha respondeu e o jogo entrou num ritmo frenético. N’jie rematou fraco para a defesa de Miguel Silva após um passe de cabeça de Germain e logo de seguida Sanson, sozinho na pequena área, cabeceou ao lado depois de um cruzamento do lateral Amavi.

O intervalo acabou por chegar com um nulo no marcador, após uma primeira parte em que as oportunidades surgiram apenas nos minutos finais.

A segunda parte começou com uma toada lenta, com o Marselha a procurar gerir melhor a posse de bola e marcar o ritmo do jogo, com o Vitória a não conseguir pressionar de forma eficaz. Ao minuto 56 N’jie apareceu nas costas da defensiva vimaranense, após um grande passe de Luiz Gustavo, mas não conseguiu desviar bem na cara de Miguel Silva, com a bola a sair muito devagar e a ser recuperada pela defensiva do Vitória.

À passagem da hora de jogo foi a vez do Vitória ficar à beira do golo. Boa transição da equipa de Guimarães com Rafael Martins a transportar e, à entrada da área, a rematar muito forte com a bola a bater na trave da baliza de Mandanda.

O Vitória procurava intensificar a pressão, subindo as linhas e procurando roubar a bola durante a primeira fase de construção do Marselha, respondendo o treinador dos franceses com a saída de N’jie e a entrada de Thauvin, que passou a atuar junto ao ponta-de-lança Germain.

Fonte: OM
Fonte: OM

Os vimaranenses estavam por cima e ficaram novamente perto do golo ao minuto 69, com Raphinha a ganhar uma segunda bola dentro da área do Marselha e a rematar forte para defesa de Mandanda, com Rafael Martins a não conseguir efetuar a recarga.

À procura do golo Pedro Martins lançou o jovem Hélder Ferreira para o lugar de Raphinha, refrescando o ataque. O Vitória parecia mais insatisfeito com o resultado e chegou mesmo à vantagem: cruzamento de Héldon na direita do ataque vitoriano e Hurtado a responder de forma certeira com um bom cabeceamento para a baliza de Mandanda.

Na sequência do golo ambos os técnicos mexeram na equipa, com Pedro Martins a trocar o lateral direito, fazendo entrar Víctor García, e o treinador do Marselha a esgotar as alterações ao fazer entrar o ex-benfiquista Mitroglou.

A vencer, o Vitória procurou gerir a vantagem, tentando manter o Marselha longe da sua área. Pedro Martins reforçou a defesa com a entrada de Moreno para o lugar de Hurtado e a equipa portuguesa procurou sobretudo evitar que o Marselha construísse, aproveitando depois as recuperações de bola para esticar o jogo, com Rafael Martins a fazer um bom trabalho na frente de ataque.

Até ao final o Marselha não conseguiu criar oportunidades de perigo, segurando o Vitória uma vantagem que permite à equipa portuguesa continuar a sonhar com a passagem à próxima fase da competição.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários