ligue 1

Nélson Oliveira é um dos principais nomes a sair da formação do Benfica nos últimos tempos. Já com 22 anos e sem espaço no plantel encarnado, acabou por ser novamente emprestado, mas desta vez – recordo que na última época esteve cedido ao Deportivo – está a aproveitar a oportunidade. O avançado leva 6 golos em 10 jogos (na última jornada bisou no terreno do Toulouse) ao serviço do Rennes, um registo extremamente interessante para um jogador que tarda em confirmar o potencial que desde cedo lhe foi apontado. Será que ainda vai a tempo?

De facto, parecem estar reunidas todas as condições para que Nélson Oliveira se afirme definitivamente. O internacional português tem aquilo que não teve na última época: tempo de jogo. Em Espanha, nos 30 encontros em que participou, apenas foi opção inicial em 2. Pelo contrário, em França tem sido titular indiscutível, merecendo total confiança por parte de Philippe Montanier, técnico que potenciou Illaramendi, Vela e Iñigo Martinez na Real Sociedad.

Oliveira em grande no Rennes / Fonte: record.xl.pt
Oliveira em grande no Rennes / Fonte: record.xl.pt

Para quem acompanhou o percurso de Nélson Oliveira nas camadas jovens do Benfica e no Mundial Sub-20 em que foi considerado o segundo melhor jogador, não sobram grandes dúvidas em relação ao seu potencial. É um avançado com características físicas e técnicas muito interessantes, explosivo e com facilidade de remate. Para dar o salto para outro patamar qualitativo, falta-lhe melhorar os índices de eficácia (por vezes é bastante perdulário) e, acima de tudo, deixar de lado o egoísmo que caracteriza o seu jogo. Se voltará ao Benfica ou não, só Jorge Jesus poderá responder. Nesta altura, parece difícil que venha a ter um papel preponderante na equipa, pelo menos enquanto JJ estiver na Luz. A concorrência é apertada e para estar no banco é preferível que se mantenha no Rennes ou noutro clube onde jogue com regularidade. Isto claro, caso os encarnados estejam dispostos a negociá-lo. Para já, veremos se consegue manter a boa forma no campeonato francês, para que possa reentrar nas contas de Paulo Bento.

PS – A história de Nélson Oliveira começou a escrever-se em 2006. No Verão desse ano, o Benfica contratou-o ao Sporting de Braga, ganhando a corrida ao Sporting, que também queria contar com o talento do jogador. Ao contrário do que seria de esperar de um jovem que sempre foi precoce – aos 16 anos assinou contrato profissional e já jogava pelos sub-19 –, a verdade é que ainda não ultrapassou o estatuto de promessa. Se tivesse escolhido a Academia de Alcochete, talvez fosse hoje a referência ofensiva da selecção nacional…

Comentários