cab ligue 1 liga francesa

O candidato PSG cada vez mais primeiro e o candidato Marselha cada vez mais em crise. Um Mónaco com um grão na engrenagem e um Lyon a afinar o motor. Um jogo de loucos em Troyes numa jornada parca em golos. Eis o rescaldo da segunda jornada do Championnat.

Mónaco 0-0 Lille – Enyeama primeiro e as lesões depois a emperrarem a máquina de Jardim

Diminuído. No início da segunda parte, pelas lesões de Moutinho e Kurzawa, que irão provavelmente falhar o importante play-off de acesso à Liga dos Campeões com o Valência, o Mónaco não conseguiu dar seguimento à excelente primeira parte, em que o guarda-redes do Lille foi muro intransponível.

Já autor de uma exibição muito segura frente ao PSG na primeira jornada, apesar da derrota do LOSC, Enyeama conseguiu ser ainda melhor no estádio Louis II. Decisivo aos 12 minutos frente a Nabil Diar, o internacional nigeriano foi imperial quando, mesmo a acabar o primeiro tempo, conseguiu desviar para canto um livre de Moutinho, que se dirigia ao ângulo da baliza à sua guarda.

O Mónaco, dominador até então, e aproveitando muito bem os corredores, principalmente o esquerdo pelo omnipresente Cavaleiro, teve depois de enfrentar duas contrariedades com as lesões de Kurzawa e Moutinho no segundo tempo. O jogo dos monegascos tornou-se muito menos esclarecido, e o Lille equilibrou a contenda acabando mesmo a partida muito por cima do seu oponente.

Os homens de Leonardo Jardim não conseguiram dar seguimento às boas exibições protagonizadas frente ao Young Boys e ao Nice e perdem dois pontos, em casa, na véspera de uma importante deslocação a Valência, num encontro que poderá ser decisivo para a época dos monegascos.

enyama
Enyama em grande forma neste início de Championnat
Fonte: Eurosport.com

Saint-Étienne 1 – Bordéus 1 (Hamouma 58’ ; Saivet 90’). Justiça ao cair do pano.

Face a uma das suas bestas negras na Ligue 1 (apenas 3 vitórias nos últimos 23 encontros), o Saint-Étienne teve muitas dificuldades, na primeira parte, para encontrar soluções atacantes frente a um Bordéus muito bem organizado e disciplinado. Abusando do jogo longo e lançamentos em profundidade, os Verts foram presa fácil para os homens de Willy Sagnol.

No segundo período, a fisionomia da partida alterou-se por completo. Depois de aos 53 minutos Roux ter estado muito perto de marcar um fantástico golo “à Madjer”, Hamouma abriu mesmo o marcador após uma brilhante jogada coletiva. Contudo o Bordéus reagiu rapidamente e tomou conta das operações. Diabaté acertou na barra transversal aos 62 minutos, algo que Saivet repetiria quatro minutos depois. Mas só no período de descontos é que a reação bordelesa seria compensada, com Saivet a aproveitar um buraco na barreira do Saint-Étienne e marcar o golo do empate de livre, que proporciona o primeiro ponto para ambas as equipas nesta Ligue 1.

Amgers 0-0 Nantes – Mais cartões do que lances perigosos

Um jogo nulo sem emoção, aquele que aconteceu no estádio Jean-Bouin. Mesmo se o Angers tentou fazer a diferença nos minutos finais do encontro, o resultado final ajusta-se perfeitamente àquilo que se passou em campo. Uma partida muito aguerrida e disputada em que as faltas e os cartões amarelos se multiplicaram num ritmo muito mais sustentado do que os lances de golo das equipas.

Depois de ambos os conjuntos terem vencido na primeira jornada continuam a seguir lado a lado com quatro pontos cada uma.

Caen 1-0 Toulouse (Damien da Silva 69’) – Mesmo dominado em grande parte do encontro, Caen segue no grupo dos líderes.

Depois de uma grande vitória alcançada no Vélodrome, ofuscada em grande parte pela saída de Bielsa do Marselha, Caen começa agora a atrair os olhares com um segundo sucesso consecutivo a contrastar com a aflição da época transata. E bem que pode agradecer a Damien da Silva, que correspondeu da melhor forma a um livre batido pelo seu capitão, Julien Féret, a pouco mais de 20 minutos do fim do encontro. Toulouse dominou grande parte do encontro e mesmo depois da expulsão de Spasic, aos 90 minutos, teve uma grande oportunidade para chegar ao empate quando Bem Yedder, de cabeça, acertou na barra transversal da baliza à guarda de Vercoutre.

Guingamp 0-1 Lyon ( Claudio Beauvue 79’) – Lyon a arrancar com uma jornada de atraso.

Depois da sua falsa partida, em casa, na primeira jornada (0-0 contra o Lorient), Lyon corrigiu o tiro na sua deslocação ao sempre difícil terreno do Guingamp. Mas precisou da ajuda do banco, nomeadamente de Beauvue, que defrontava a sua antiga equipa e consequentemente não festejou o golo, e do seu guardião, o português Anthony Lopes.

Lyon permanece invencível mas também órfão de ideias e com muito trabalho pela frente pois apresentou um futebol ainda mais pobre do que no jogo anterior. Mas estes três pontos poderão fazer um bem precioso aos vice-campeões franceses que muito sofreram durante a primeira meia-hora. O Guingamp, esse, conta agora com duas derrotas; bem que merecia um ponto mas nada lhe sorriu e teve de enfrentar um excelente Anthony Lopes, principalmente aos 94 minutos, quando o guardião do Lyon saiu muito bem frente a Briand para ver depois Bisevac afastar o remate de Salibur em cima da linha.

Este jogo também marcou a estreia de Valbuena pelo Lyon. O antigo jogador do Marseille foi o jogador mais perigoso dos Lioneses no seu primeiro jogo do Championnat, após passagem pela Rússia. Poderá ser um elemento fundamental para as aspirações da equipa orientada por Fournier.

Valbuena estreou-se a grande nível pelo outro Olympique Fonte: Site Oficial Olympique Lyon
Valbuena estreou-se a grande nível pelo outro Olympique
Fonte: Site Oficial Olympique Lyon

Rennes 1-0 Montpellier (Grosicki 86’) – Grosicki encontra a chave de jogo fechado.

Foram duas equipas à procura dos primeiros pontos na Ligue 1 e que se anularam completamente taticamente, aquelas que se encontraram no Roazhon Park. Depois de uma primeira parte completamente fechada, e de uma segunda parte que seguiu os mesmos trâmites, ficou claro que só um lance de génio poderia desbloquear a partida. E foi o que o recém entrado Grosicki conseguiu, quando, aos 86 minutos, alojou a bola mesmo na esquina da baliza defendida por Jourdren. Um fantástico remate a dar a primeira vitória ao Rennes e a deixar o Montpellier no fundo da tabela, ainda sem pontuar.

Troyes 3-3 Nice – (Corentin Jean 3’, Fabien Camus 77’, Thiago Xavier 94’ ; Ben Arfa [pen] 6’, Plea 16’, Le Marchand 46’) – Troyes alcança empate inesperado em jogo de loucos.

Quando o árbitro apitou para o intervalo em Troyes, poucos seriam os adeptos locais que esperariam que a sua equipa alcançasse algo de positivo nessa noite. Na verdade, estando reduzidos a dez desde o minuto 32, depois da expulsão de Mavinga, e perdendo por 3-1, não era fácil acreditar noutro desfecho que não a derrota. Mas esse não era o pensamento da equipa de Jean-Marc Furlan. Depois de terem aberto o marcador, logo aos 3 minutos, tiveram de enfrentar um fantástico Plea, que está nos três golos da reviravolta do Nice e na origem da expulsão de Mavinga, mas isso não foi motivo para deitar a toalha ao chão. Após reduziram aos 77, por Camus, a equipa do Troyes chegaria mesmo, em cima da hora, ao empate milagroso por intermédio de Thiago Xavier. Nenhuma equipa ainda conseguiu vencer nesta Ligue 1, mas para o Troyes o empate terá um sabor mais agradável.

Reims 1-0 Marselha (Traoré 14’) – Marselha não se levanta e crise agudiza-se.

Ainda na ressaca da despedida de Bielsa, logo na primeira jornada, o Marselha até entrou relativamente bem no terreno do Reims. Contudo, Traoré, aos 14 minutos, beneficiou de uma falha de Batshuayi na marcação de um canto e aproveitou para inaugurar o marcador, fazendo o seu primeiro golo em campeonatos, e acordar os fantasmas do OM.

Os marselheses tentaram reagir ainda na primeira parte e foram tendo mais posse de bola mas evidenciaram muita intranquilidade nas suas ações ofensivas. Já na segunda parte, quando se esperava um Marselha mais incisivo, foi De Preville que poderia ter sentenciado a partida ao aparecer isolado na cara de Mandanda mas a permitir a defesa do guarda-redes congolês. Mas quando, aos 74 minutos, Romao foi expulso, ficou claro que o Reims iria conseguir a sua primeira vitória caseira sobre o Olympique deste 1976.

Um Marselha em crise, que precisa rapidamente de organizar uma casa que parece um baralho de cartas tombado. Urge definir uma equipa técnica para dar tranquilidade ao plantel. Para já, duas derrotas e nenhum golo marcado, contrastando com o Reims, que vai partilhando a liderança com duas vitórias.

Traoré deu a vitória e a liderança ao Reims Fonte:20minutes.fr
Traoré deu a vitória e a liderança ao Reims
Fonte:20minutes.fr

Lorient 1-1 Bastia (Moukandjo [pen] 91’ ; Ayite 4’) – Un forcing que só pagou a metade.

Em desvantagem desde o quarto minuto, o Lorient carregou para recuperar e evitar uma derrota caseira. Face a um corsos completamente recolhido no seu meio-campo e a tentar (sem sucesso) explorar os contra-ataques, os jogadores de Sylvain Ripoll viram os seus esforços recompensados na marcação de uma grande penalidade, já nos descontos, por intermédio de Moukandjo. As duas equipas permanecem assim invictas.

Paris Saint-Germain 2-0 Ajaccio – (Matuidi 11’, Thiago Silva 21’) – Resolver rapidamente para descansar.

O PSG, ainda sem o lesionado Ibrahimovic e o reforço Di Maria, apresentado apenas ontem na companhia dos quatro troféus conquistados este ano, mas com a jovem pérola Augustin no lugar de Pastore, rapidamente tratou de resolver a partida face a um modesto Ajaccio, que demonstrou ainda não ter a tarimba necessária para encontros desta envergadura.

Matuidi, logo aos 11 minutos, definiu o rumo da partida, com um violento remate cruzado a encontrar o fundo das redes à guarda de Maury. Aos 21 minutos, o capitão Thiago Silva sentenciou, logo ali, a partida ao corresponder da melhor forma a um canto batido por Motta (que recuperou a confiança de Blanc para a titularidade). Enfrentando um Ajaccio muito tenro e que só protagonizou tímidas iniciativas, os parisienses aproveitaram a diferença produzida na primeira parte para gerir na segunda.

Os campeões nacionais continuam na liderança e começam desde já a ganhar pontos aos seus mais diretos adversários, ameaçando tornar esta Ligue 1 num passeio.

Matuidi iniciou a vitória fácil do PSG Fonte: Site Oficial do PSG
Matuidi iniciou a vitória fácil do PSG
Fonte: Site Oficial do PSG

A Figura da Jornada: Alassane Plea

Resumidamente, Plea fez tudo. O atacante de 22 anos do Nice esteve envolvido em todos os golos da sua equipa, no empate 3-3 em Troyes. Obteve primeiro o penálti que Ben Arfa viria a converter, marcou de seguida o segundo dando a vantagem ao Nice e ainda fez ainda a assistência para o terceiro marcado por Le Marchand. Como se ainda não bastasse, sacou a expulsão a Mavinga entregando de bandeja a vitória à sua equipa, algo que esta não conseguiria pois desbaratou a superioridade numérica e a vantagem no marcador. Mas isso já não foi culpa de Plea.

O Momento da Jornada: Marselha de mal a pior

Depois de uma pré-época a meio-gás e das saídas em catadupa de jogadores que foram fundamentais, na época passada, já seria de esperar que o Olympique de Marseille tivesse um início de Ligue 1 complicado. Mas nada fazia antever que, à segunda jornada, já se falasse em crise, agudizada pela saída de Bielsa logo no primeiro jogo. Os resultados, esses, só correspondem ao paupérrimo futebol apresentado em campo. Os dirigentes do Marselha têm menos de duas semanas para fazer um trabalho que demora meses a preparar: dar um equipa capaz a um treinador que ainda não contrataram.

 Foto de Capa: Facebook Oficial do PSG

Comentários