ligue 1

Ainda estamos em Maio, mas dificilmente teremos uma transferência mais absurda do que a de David Luiz para o PSG. O central brasileiro, que se tornou no defesa mais caro da história, permite ao Chelsea um encaixe de cerca de 50 milhões de euros. Numa altura em que se fala bastante do fair-play financeiro imposto pela UEFA – que até castigou o emblema parisiense recentemente -, este negócio é um autêntico atentado ao futebol.

São várias as razões que fazem desta transferência uma das mais ridículas dos últimos tempos. A primeira, e a mais evidente, é o facto de David Luiz não valer, nem de perto nem de longe, 50 milhões de euros. Nesta altura, e tendo em conta o seu estatuto de suplente no Chelsea, metade desse valor seria aceitável. É certo que o brasileiro tem características perfeitas para a posição, mas, aos 27 anos, está longe de cumprir aquilo que prometeu, principalmente por não conseguir atingir níveis de regularidade adequados. Nunca foi indiscutível para os vários treinadores que passaram por Londres e nas últimas épocas foi frequentemente utilizado como trinco.

A contratação de David Luiz não era uma prioridade para o PSG. Não era sequer uma necessidade. Tendo Thiago Silva, um dos melhores centrais do mundo, e Marquinhos, o central mais promissor a nível mundial (a par de Varane), não faz qualquer sentido investir 50 milhões de euros num jogador para a posição. Até porque na última época o emblema parisiense pagou 35 milhões de euros à Roma por Marquinhos. E convém não esquecer Alex, jogador experiente e que constitui uma boa alternativa aos titulares. Com esta aquisição, que dá continuidade à “brasileirização” do sector defensivo, veremos se o campeão francês estará disponível para abdicar de Marquinhos (que, em princípio, será suplente).

Depois de defrontar o PSG na Liga dos Campeões, David Luiz muda-se para Paris  Fonte: Sky Sports
Depois de defrontar o PSG na Liga dos Campeões, David Luiz muda-se para Paris
Fonte: Sky Sports

Fora do plano desportivo, esta transferência é uma demonstração de que o fair-play financeiro, nos moldes actuais, não é castigo suficiente para os clubes mais endinheirados. O PSG foi recentemente multado pela UEFA em 60 milhões de euros, sendo também proibido de aumentar a sua pauta salarial e ficando limitado à inscrição de 21 jogadores na Liga dos Campeões. Depois do castigo imposto pela organização que tutela o futebol europeu, esta contratação quase parece uma provocação (uma espécie de “quero, posso e mando”) da parte do emblema parisiense.

Na perspectiva do Chelsea é, obviamente, um excelente negócio. Depois de terem encaixado 45 milhões com Mata, que não era titular, os blues recebem agora cerca de 50 milhões de euros por outro suplente. Um elemento que não era, de todo, indispensável para Mourinho. Sabendo que o clube londrino é um cliente habitual do futebol português, esta transferência vem aumentar a possibilidade de haver mais mudanças do campeonato nacional para a Premier League. Para além disso, mete dinheiro a circular e irá concerteza provocar um “efeito bola de neve” no mercado.

Comentários