Dentro do ‘verdadeiro’ campeonato francês, em que o Paris Saint-Germain só sabe o que é ganhar nas primeiras sete jornadas e não deve ficar por aí, o destaque está a ser o histórico Lyon. Depois de apenas três vitórias nos primeiros cinco jogos do campeonato, o OL reergueu e atravessa uma fase positiva e que pode marcar a luta pelo segundo lugar da liga francesa, anteriormente ocupado pelo Mónaco – do treinador português Leonardo Jardim – que ainda não encontrou o rumo certo e está no fundo da tabela. Esta época tem de dar troféus para o Lyon, algo que já não ergue há cinco anos desde 2012, altura em que conquistou a  Taça e a Supertaça.

O bom momento do Lyon começou no início da Liga dos Campeões, onde os gauleses venceram o Manchester City na visita surpreendente a Inglaterra por 2-1. A equipa de Guardiola tremeu muito em vários momentos do jogo e o OL jogou sem pressão perante o campeão inglês. Agora, é líder de um dos grupos mais equilibrados da liga milionária. Na mesma semana, num espaço de três dias, ‘Les Gones’ venceram em casa o Marselha por uns expressivos 4-2. Na jornada seguinte, 3-0 ao Dijon. Nove golos em três jogos disputado em apenas uma semana. É o atual segundo classificado do campeonato, à sétima jornada, com 13 pontos.

O Lyon impôs uma derrota inesperada ao Man. City no arranque da Champions
Fonte: Olympique Lyonnais

É difícil definir um protagonista neste colectivo orientado pelo treinador francês, Bruno Genésio, a cumprir a quarta temporada em Lyon. Desde o guarda-redes português Anthony Lopes até ao avançado holandês Memphis Depay, há opções viáveis para todos os setores para o emblema heptacampeão gaulês entre 2001 e 2008, os únicos títulos nacionais conquistados pelo OL. O que realça nesta equipa são alguns dos jogadores que poderão ser promissores para o futuro do futebol internacional e, acima de tudo, da seleção francesa, atual campeã do mundo.

Para esta temporada, o Lyon foi à Escócia resgatar o avançado Moussa Dembelé ao Celtic a troco de mais de 20 milhões de euros. É o substituto directo de Mariano Diáz, que regressou ao Real Madrid e esteve em grande em Parc Olympique Lyonnais – onde marcou 21 golos na última temporada – mas também da estrela do ataque Memphis Depay. Todos eles dotados de velocidade e técnica, juntam-se também os avançados Maxwel Cornet, Bertrand Traoré (dois golos ao Marselha)  e Martin Terrier.

Para servir estes avançados, a referência no apoio é o internacional francês de 25 anos Nabil Fékir, que já teve efetivo interesse por parte de clubes ingleses. Marcou a Man. City e Marselha, bem como não pára de fazer assistências. Ao lado de Fékir, ainda no meio campo, há ainda os jovens franceses Ndombelé – contratado este ano ao Amiens e internacional sub-21 – Lucas Tousart, Houssem Aouar e ainda o senegalês Pape Diop. Todos eles reúnem um conhecimento táctico invulgar para a pouca idade que têm e um porte físico que promete abafar muitos meios campos menos robustos.

Denayer e Dembelé são os reforços que marcaram impacto imediato no Lyon
Fonte: Olympique Lyonnais

No eixo da defesa, a novidade é o belga Jason Denayer. Contratado ao Manchester City, clube a quem mostrou serviço nesse tal jogo da Champions, chegou ‘de caras’ ao onze inicial do Lyon e faz a parceria com o veterano e brasileiro Marcelo. Nas alas da defesa, as opções também são válidas. À direita, o titular tem sido o brasileiro e ex-Manchester United, Rafael da Silva, estando o holandês Keny Tete no banco. À esquerda, Genésio tem optado por rodar entre os velozes franceses Ferland Mendy e Léo Dubois.

Até à próxima pausa para as seleções, o Lyon tem oportunidades de continuar a florescer o bom momento e marcar uma posição em todas as competições que está presente. Primeiro defronta o Nantes do treinador português Miguel Cardoso – que está a começar mal esta aventura forasteira – e depois recebe o Shakthar Donetsk de Paulo Fonseca. O conjunto francês pressiona muito bem os adversários, reúne resistência e velocidade para forçar o erro e chegar aos golos.

Depois do clássico em Portugal entre Benfica e FC Porto, por França há jogo grande no Parque dos Príncipes entre Lyon e Paris Saint-Germain, dia 7 de outubro às 20h00. No último encontro entre as duas equipas, foi o Olympique que levou a melhor sobre os parisienses com uma vitória caseira por 2-1. No entanto, na “cidade Luz”, o Lyon venceu pela última vez em 2012, por 1-3, num jogo a contar para os quartos de final da Taça de França.

Foto de Capa: Olympique Lyonnais

Artigo revisto por: Jorge Neves

Comentários