A CRÓNICA:  QUEM TEM DIOGO JOTA TEM TUDO…

Arsenal FC e Liverpool FC defrontaram-se no Emirates Stadium em mais um grande duelo da Liga Inglesa, a contar para a jornada 30 da competição.

O Liverpool entrou no campo do rival a todo o gás, tentando chegar ao golo o mais rápido possível, com as suas linhas muito subidas no terreno e aplicando uma pressão sufocante à primeira linha de construção do Arsenal FC, tentando ganhar a bola perto da baliza adversária. Numa primeira metade do encontro dominada praticamente na totalidade pela equipa visitante, e em que Alisson, guardião do reds, foi um mero espetador, apenas faltaram golos para coroar uma exibição impecável da formação de Liverpool.

No segundo tempo, a toada manteve-se, com os forasteiros a manterem o controlo do jogo e cada vez mais parecia apenas uma questão de tempo até ao golo dos reds. Klopp decidiu dar frescura ao ataque, com Diogo Jota a entrar à passagem do minuto 64’, aposta essa que foi na muche, visto que foi o internacional português a desbloquear o marcador apenas quatro minutos depois. Costuma-se dizer que, às vezes, só custa entrar a primeira e assim foi, com Salah a fazer o gosto ao pé, e a faturar ao minuto 68’. E como não há duas sem três, Diogo Jota voltou a marcar, fazendo o terceiro a favor da sua equipa à passagem do minuto 82’.

Com este triunfo por parte do Liverpool, a formação de Anfield sobe, ainda que de forma provisória ao quinto lugar da tabela classificativa, mantendo viva a luta por um lugar de qualificação para a Liga dos Campeões, enquanto o Arsenal se mantém no nono lugar, vendo cada vez mais longe a hipótese de disputar uma competição europeia na próxima temporada.

Anúncio Publicitário

 

A FIGURA


Diogo Jota – O internacional português voltou a brilhar ao bisar na partida, marcando o primeiro golo após apenas quatro minutos em campo, tendo sido extremamente importante para desbloquear o resultado a favor da sua formação. Um dos melhores jogadores do mundo no momento sem qualquer sombra de dúvidas.

 

O FORA DE JOGO


Organização do Arsenal FC – A formação dos gunners mostrou poucos argumentos na partida, limitando-se a defender praticamente durante 90 minutos – e mal –, para além de naão ter criado qualquer situação de perigo efetivo durante todo o encontro. Uma exibição que ficou muito aquém das expetativas, não retirando qualquer mérito à excelente exibição do Liverpool FC.

 

ANÁLISE TÁTICA – ARSENAL FC

Organizados num 4-2-3-1, os comandados de Mikel Arteta sentiram algumas dificuldades no jogo, principalmente na fase de construção. A pressão alta exercida pelo Liverpool FC criou bastantes constrangimentos aos gunners durante todo o encontro. A formação de Londres sucumbiu ao estilo de jogo do adversário, não conseguido manter uma boa organização defensiva, acabando assim por sofrer três golos aos quais não foram capazes de dar qualquer tipo de resposta.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Leno (6)

Chambers (5)

Holding (6)

Gabriel (5)

Tierney (6)

Partey (6)

Ceballos (6)

Pépé (6)

Odegaard (6)

Aubameyang (6)

Lacazette (6)

SUBS UTILIZADOS

Cédric (6)

Martinelli (6)

Elneny (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – LIVERPOOL FC

Jürgen Klopp manteve-se fiel às suas ideias, apostando no seu habitual 4-3-3, numa equipa que se apresentou praticamente na máxima força, às exceção de algumas ausências importantes no eixo defensivo que já não são de agora, mas que tem sido bem colmatadas. Apresentando um futebol muito agressivo ofensivamente, a formação dos reds mostrou-se num nível de intensidade muito mais elevado que o adversário, dominando quase que por completo a partida. A pressão exercida ao portador da bola revelou-se uma estratégia muito importante na criação de oportunidades de golo.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Alisson (7)

Alexander-Arnold (7)

Phillips (7)

Kabak (6)

Robertson (7)

Alcântara (7)

Fabinho (7)

Milner (7)

Salah (7)

Firmino (7)

Mané (6)

SUBS UTILIZADOS

Jota (8)

Wijnaldum (6)

Williams (6)