A CRÓNICA – CUSTOU, MAS FOI!

Com o último lugar de acesso à Liga Inglesa em jogo (tal como um prémio financeiro bem chorudo), Brentford FC e Fulham FC, ferozes rivais do oeste de Londres, subiram ao tapete verde do mítico Estádio de Wembley sabendo que só uma das duas formações iria fazer companhia a Leeds United FC e West Bromwich Albion FC, já promovidos ao principal escalão do futebol inglês. Neste jogo esteve envolvido o português Ivan Cavaleiro.

O início de jogo foi bastante agitado, com as duas equipas a quererem ter a bola para si e lançar de imediato o ataque. Aos 17 minutos poderia mesmo ter surgido o golo inaugural do desafio, para o lado do Fulham, mas David Raya, eleito o melhor guarda-redes da Segunda Liga Inglesa, defendeu o remate rasteiro e colocado do jovem Joshua Onomah, um dos destaques dos “Cottagers” durante esta época.

O ascendente começou a pender cada vez mais para o lado dos “Whites”, o que apenas permitia ao Brentford tentar sair para o ataque através de transições rápidas. Contudo, desde a paragem para hidratação, por volta dos 25 minutos de jogo, que o ritmo de jogo diminuiu e não se registaram mais lances perigosos até ao intervalo.

Anúncio Publicitário

Logo após o reatar da partida, Neeskens Kebano dispôs de um livre direto à entrada da área dos “Bees” e cobrou-o de forma incrível, mas a bola tocou a rede pelo lado de fora da baliza. Cerca de dez minutos depois, nova oportunidade para o Fulham, mas desta feita foi Bobby Reid a vacilar no remate final.

Com o jogo completamente em aberto, a primeira boa oportunidade para o lado do Brentford surgiu ao minuto 72, através de um pontapé potente de Ollie Watkins, de fora da área, mas que foi travado por uma boa parada de Marek Rodak. Este momento projetou o Brentford para uns bons dez minutos seguintes, mas passado esse tempo voltou ao encontro a toada algo adormecida que figurou na segunda parte, mantendo-se assim o nulo no marcador até ao fim dos 90 minutos.

No prolongamento, apesar da boa oportunidade de que Watkins dispôs logo no início, foi o Fulham que acabou por chegar à vitória. Joe Bryan, defesa esquerdo dos “Cottagers”, bisou com um golo em cada parte do tempo extra e deu a vitória ao Fulham nesta final do playoff. Os “Bees” ainda reduziram, por intermédio de Henrik Dalsgaard, mas era já tarde demais para conseguirem retirar algo da partida.

O Fulham está assim de regresso ao principal escalão do futebol inglês, após um ano de ausência. Já o Brentford, vai continuar na Segunda Liga, terminando assim de forma dolorosa uma boa época dos “Bees”.

 

A FIGURA


Joe Bryan – Num jogo muito adormecido e sem grandes figuras, sobretudo na segunda parte, sobressaiu o jogador que marcou os dois golos da vitória e colocou o Fulham de volta à Primeira Liga Inglesa. Joe Bryan vai ficar para sempre na história dos “Cottagers” como o herói da temporada 2019/20!

 

O FORA DE JOGO


David Raya – Tal como referi na escolha da figura do jogo, a falta de acontecimentos relevantes durante o encontro levou a que este fosse decidido nos detalhes, e aí o guardião espanhol falhou. Depois de uma época tremenda, foi um último jogo inglório para o guarda-redes do Brentford, que cometeu um erro que custou o jogo à sua equipa.

 

ANÁLISE TÁTICA – BRENTFORD FC

O 4-3-3 montado por Thomas Frank pretendia permitir aos “Bees” estarem sólidos no momento defensivo e lançarem rapidamente os três homens do ataque. Contudo, para que a equipa tivesse sucesso, faltou mais envolvimento no jogo dos três membros do meio-campo, bem como do “mago” da equipa, Mohamed Benrahma. A falta da habitual verticalidade rápida com que o Brentford costuma pautar o seu jogo ofensivo foi um dos principais fatores para o fracasso da equipa no jogo de hoje.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

David Raya (5)

Henrik Dalsgaard (6)

Pontus Jansson (6)

Ethan Pinnock (6)

Rico Henry (6)

Christian Norgaard (6)

Mathias Jensen (6)

Joshua Da Silva (6)

Bryan Mbeumo (5)

Mohamed Benrahma (5)

Ollie Watkins (5)

SUBS UTILIZADOS

Emiliano Marcondes (6)

Sergi Canos (6)

Ibrahim Dervisoglu (5)

Tarique Fosu (5)

ANÁLISE TÁTICA – FULHAM FC

Dispostos em 4-2-3-1 por Scott Parker, os “Cottagers” estiveram por cima durante a maioria da primeira parte. A grande solidez das exibições de Harrison Reed e Tom Cairney deram o equilíbrio necessário para que a equipa ficasse confortável e se desenvolvesse ofensivamente com êxito, sempre com Joshua Onomah muito envolvido. Nota também para a bela exibição do setor defensivo, destacando-se os defesas centrais, Michael Hector e Tim Ream.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Marek Rodak (6)

Dennis Odoi (6)

Michael Hector (6)

Tim Ream (6)

Joe Bryan (6)

Harrison Reed (6)

Tom Cairney (6)

Aboubakar Kamara (5)

Joshua Onomah (6)

Neeskens Kebano (5)

Bobby Reid (5)

SUBS UTILIZADOS

Anthony Knockaert (5)

Aleksandar Mitrovic (6)

Ivan Cavaleiro (6)

Maxime Le Marchand (6)

Cyrus Christie (6)

Comentários