José Diogo Dalot Teixeira, o menino que chegou ao Olival com oito anos de idade e que uma década depois rumou a Inglaterra para vestir a camisola do Manchester United, tem sido notícia pois reina em seu torno uma enorme dúvida acerca da sua continuidade no Teatro dos Sonhos.

Na época de estreia, Diogo Dalot efectuou 23 jogos e deixou bem patente toda a sua qualidade, potencial e a forma como influencia o jogo dos red devils sobretudo com a versatilidade que apresenta, na medida em que é um jogador que confere equilíbrio à equipa nos dois momentos do jogo: a defender e a atacar.

Não foi uma época brilhante, longe disso, mas a adaptação de um jogador ainda para mais de tenra idade à Premier League nunca é tarefa fácil. Mesmo assim, Dalot nunca foi motivo de destaque pela negativa e o feedback dos exigentes adeptos do Manchester United foi positivo, apontando o jovem jogador português como um futuro promissor defesa direito do clube.

Esperava-se, portanto, que 2019/2020 seria a rampa de lançamento de Diogo Dalot, pois o português teria mais oportunidades para render o quase veterano Ashley Young. Esta expectativa ficou ameaçada com a posição que o Manchester United desde cedo assumiu no mercado de transferências, desejando adquirir um defesa lateral direito.

Os rumores da imprensa desportiva inglesa de que em caso de contratação de algum defesa, Dalot estaria garantidamente fora das contas de Solskjaer intensificaram-se de tal forma que em conferência de imprensa com o treinador norueguês este era o assunto quente dos últimos dias.

O senhor 45 milhóes de libras que compete com Dalot
Fonte: Manchester United

O Manchester United seguiu mesmo em frente com as suas intenções e garantiu a contratação de Aaron Wan-Bissaka, lateral direito proveniente do Crystal palace, que havia sido reconhecido com uma das principais revelações do futebol inglês na época transata.

Com a chegada do também jovem jogador inglês, a competição pela titularidade na asa direita dos red devils aumentou, pois a Dalot, Young e Matteo Darmian junta-se Wan-Bissaka que chegou a troco de 50 Milhões de euros.

É consensual que quatro jogadores para a mesma posição poderá ser exagerado, mas é também sabido que as equipas inglesas são as que mais jogam disputam numa temporada, ainda para mais com pouco tempo de descanso entre as partidas. Além deste pormenor, Solskjaer pode vislumbrar a adaptação de algum destes jogadores a outra posição, fator no qual Diogo Dalot parte em vantagem podendo jogar em todos os setores, dada a polivalência que demonstrou na temporada passada.

A verdade é que mesmo com muitas dúvidas acerca da continuidade de Dalot em Manchester, não houve um único indício de uma possível venda ou empréstimo do jogador português pelo que deverá permanecer de pedra e cal no plantel comandado por Solskjaer.

Esta será uma época crucial para Dalot pois ou se sobressai perante os seus companheiros de equipa e assume-se como um jogador determinante no Manchester United ou não continuará a ser aposta dos red devils nos próximos anos.

Foto de Capa: Manchester United

Comentários