Anterior1 de 3Próximo

À entrada para esta jornada, ambas as equipas vinham de resultados negativos: o Wolves tinha perdido em casa frente ao Liverpool FC; já o Fulham FC empatou no terreno do Newcastle United FC e encarava, mais uma vez, o jogo como uma final, com o propósito de sair da zona de despromoção. Relativamente aos últimos encontros, ambos os técnicos fizeram apenas uma alteração. Destaque para a ausência de Diogo Jota, do lado dos visitantes, que tem sido uma peça fundamental para a equipa de Nuno Espírito Santo.

Não podia ter começado da pior maneira este Boxing Day. Assistimos a uma primeira parte muito pobre, com pouco espetáculo e, sobretudo, com poucas ocasiões claras de golo. O Fulham teve sempre mais vontade de chegar à vantagem, com Mitrović a ser, em todas as jogadas, o grande desequilibrador.

No entanto, a primeira (e única) oportunidade foi do Wolves, com Raúl Jiménez a rematar de bicicleta. Tinha sido um golaço, se a bola não tivesse saído por cima da barra da baliza defendida por Sérgio Rico.

A partir desse momento, só deu Fulham. Primeiro, ao minuto 16, Mitrović arranjou espaço dentro de área e rematou forte, mas ligeiramente por cima. De seguida, passados nove minutos, o avançado sérvio subiu mais alto que todos os defesas e cabeceou para uma boa defesa de Rui Patrício. Três minutos depois, o homem do costume, Mitrović, não chegou a tempo para encostar a bola ao segundo poste, naquela que foi a melhor oportunidade para os comandados de Ranieri.

Antes do término do primeiro tempo, Mitrović teve mais uma oportunidade, ao minuto 41. O avançado conseguiu desmarcar-se e atirou rasteiro para uma brilhante defesa de Rui Patrício. Uma primeira parte pobre, sempre com um pendor para o lado do último classificado da Premier League.

O Wolves esteve a perder, mas consegui empatar por intermédio de Roman Saïss
Fonte: Premier League

A segunda parte não foi muito diferente da primeira. Contudo, foi o Wolves que tentou sempre chegar ao primeiro golo, isto pelo menos no início do segundo tempo. A equipa de Nuno Espírito Santo teve a primeira oportunidade da segunda parte ao minuto 51, com Jiménez a cabecear dentro da área adversária. Sete minutos depois, foi João Moutinho a tentar a sorte. O médio português ganhou espaço e rematou forte, mas a bola passou a rasar o poste direito da baliza. Logo na jogada seguinte, Raúl Jiménez recebeu um passe entre linhas e rematou fora de área. Valeu ao Fulham o guardião Sérgio Rico, que fez uma fabulosa defesa ao remate do mexicano.

Mas quem não marca, sujeita-se a sofrer… e foi mesmo isso que aconteceu, ao minuto 74. O recém-entrado Ryan Sessegnon marcou o primeiro golo, numa jogada bastante confusa na pequena área do Wolves. A resposta dos visitantes não demorou muito a chegar. Nove minutos depois do golo do Fulham, foi a vez do Wolverhampton marcar. Roman Saïss aproveitou um ressalto e encostou facilmente para dentro da baliza. O jogo voltou à estaca zero.

Na parte final, o jogo ficou partido e muito mais intenso e, até ao apito final, Mitrović voltou a ter uma grande oportunidade. O avançado conseguiu ganhar a frente a dois defesas e atirou à baliza, mas o defesa Coady tirou a bola em cima da linha com um carrinho espetacular.

O jogo terminou empatado e este é o resultado mais justo pelas poucas oportunidades que houve em toda a partida. O Boxing Day podia ter começado melhor, mas, no fim de contas, este foi apenas o início do espetáculo. 

Onzes Iniciais

Fulham FC- Sérgio Rico; Odoi;Mawson;Ream;Christie; Callum Chambers; Seri (82’ McDonald); Joe Bryan; Kamara (73’ Cairney)André Schurrle (67’ Sessegnon); Mitrovic

Wolves-Rui Patrício; Bennett; Coady; Boly; Doherty; Jonny (82’ Rúben Vinagre); Saiss; João Moutinho; Traoré (46’ Ivan Cavaleiro); Gibbs-White (63’ Hélder Costa); Raúl Jimenez

Anterior1 de 3Próximo

Comentários