Os mais atentos à realidade do futebol internacional já terão, certamente, ouvido este nome que soa a italiano, mas que denomina um brasileiro em ascensão na zona norte de Londres. Trata-se de Gabriel Martinelli. Uma das (poucas) coisas boas que o Arsenal FC tem apresentado esta temporada. Um diamante por lapidar, e uma enorme surpresa, devido ao salto hiperdimensional que deu para chegar aí.

Martinelli mudou-se para a capital inglesa no verão de 2019, proveniente do Ituano FC (atualmente na Série C) por uma verba a rondar os sete milhões de euros. Destacou-se no campeonato Paulista com apenas 17 anos, onde foi premiado como “Jogador Revelação”. Antes de ingressar nos gunners, chegou a prestar provas no Manchester United e no Genk.

Numa era em que o Arsenal não vive os seus melhores dias, o jovem brasileiro aproveitou a falta de alternativas aos consagrados (Aubameyang e Lacazette) e começou a dar nas vistas, sobretudo na fase de grupos da Liga Europa. É ponta de lança de origem, mas também pode jogar a partir da faixa esquerda ou como segundo avançado.

Apesar de não ser um titular indiscutível, tem sido impressionante a rápida adaptação ao futebol europeu e à Premier League, por parte de um jogador, que nem sequer jogou o Brasileirão, nem tinha vestido a camisola das camadas jovens do escrete até novembro do ano passado, quando foi chamado aos sub-23.

A atitude também é uma das virtudes de Martinelli, apontada por treinador e companheiros
Fonte: Arsenal FC
Anúncio Publicitário

Em termos de perfil, é um atleta que, apesar de franzino, não se encolhe nos duelos. É perfeito para jogar em contra-ataque, ainda que em ataque organizado também não seja carta fora do baralho. Tecnicamente, carateriza-se pelo fino recorte técnico, mas não é daqueles que se agarra à bola com “rodriguinhos” (o que seria normal na sua idade). Acima de tudo, vejo-o como um jogador objetivo e com uma maturidade, a todos os níveis, fora do normal.

Voltando ao panorama das seleções, é bom que o Brasil se apresse em convocá-lo para a equipa principal, nem que seja, com a intenção de o “reservar” para o futuro. Martinelli, à imagem de diversos jogadores brasileiros, tem passaporte italiano, o que significa que também pode ser chamado para representar a squadra azurra.

Em dezembro passado, tornou-se no mais jovem da história do Arsenal a marcar na Premier League, na sua estreia como titular. A cumprir a primeira época em Inglaterra, Gabriel Martinelli, soma dez golos e quatro assistências, em 22 jogos para todas as competições. Números bem interessantes para quem passa da quarta divisão do país do samba, para o “melhor campeonato do mundo”.

Se formos a ter em conta o contexto em que se encontra, parece-me o melhor possível para continuar a sua evolução. Num clube grande, agora com um treinador da “escola Guardiola” e conhecedor do futebol inglês, tem todos os ingredientes para uma carreira de sucesso. Pode contar ainda com dois “professores catedráticos” para lhe ensinarem tudo o que sabem sobre a posição: Pierre-Emerick Aubameyang e Alexandre Lacazette.

Ronaldinho já veio a público compará-lo com Ronaldo “Fenómeno” … Não elevem demasiado as expectativas. Vamos lá ter calma com os miúdos.

Foto de Capa: Arsenal

Comentários