cab premier league liga inglesa

E à 3ª jornada… habemus líder! O Manchester City, no sempre difícil Goodison Park, superiorizou-se ao Everton, por 2-0 (golos de  Kolarov e Nasri) e isolou-se no topo da tabela classificativa,  beneficiando dos empates das equipas que se encontravam no pelotão da frente:  o Liverpool, no Emirates, diante do Arsenal,  continuou sem sofrer golos mas também não os marcou num jogo em que os guarda-redes (Cech e Mignolet) foram os principais protagonistas, o Leicester empatou na recepção ao Tottenham (o miúdo Delle Ali deu vantagem aos Spurs, mas um minuto e meio depois Mahrez deu continuidade ao seu excelente momento de forma e igualou a partida), e o Manchester United cedeu os primeiros pontos da época ao não conseguir dar a volta, em pleno Old Trafford, a um Newcastle muito bem organizado (ver treinador da semana), que forçou o nulo…

… que também se registou no terreno do Watford, onde o Southampton procurou mas ainda não conseguiu a primeira vitória da época, contrastando com o que fez durante a época passada – a surpresa da temporada anterior está a desiludir na actual… mas não é a única, pois há mais equipas que ainda não lograram vencer e de quem se esperava mais, como é o caso do Stoke, que não aproveitou a vantagem madrugadora obtida em Norwich, permitindo a igualdade a 1 golo que se verificou até final, o mesmo resultado que Sunderland e Swansea obtiveram no Stadium of the Light,  dando continuidade aos respectivos momentos de forma – os black cats ainda não conseguiram vencer na Premier League 2015/2016 e os Swans atravessam um excelente momento de forma, não perdendo qualquer encontro depois de já terem ido a Stamford Bridge…

… lugar onde já se respira com maior tranquilidade depois do reforço Pedro Rodriguez ter colocado um ponto final no mau início de época do Chelsea e numa malapata que durava há 4 anos ao marcar um e assistir outro, revelando-se importantíssimo na vitória sobre o West Bromwich Albion, no The Hawthornes, por 2-3. Um jogo que revelou o quão competitiva, espectacular e imprevisível pode ser a Premier League – o Chelsea esteve sempre em vantagem mas a incerteza sobre o resultado final pairou até acabar o jogo…

Callum Wilson (AFC Bournemouth) mereceu levar a bola do jogo para casa. Fonte: Facebook do Bournemouth
Callum Wilson (AFC Bournemouth) mereceu levar a bola do jogo para casa.
Fonte: Facebook do Bournemouth

… à semelhança do que também aconteceu nos duelos disputados em Londres na tarde de sábado. No Sellhurst Park, Cyrstal Palace e Aston Villa só mexeran no 0-0 por volta dos 71 minutos, quando Dann deu vantagem aos da casa, que foram, depois, surpreendidos pela velocidade de Adama Traoré, cuja investida (permitida por Puncheon) só terminou na baliza dos eagles (auto-golo de Souaré), porém, a três minutos do fim, Sako viria a devolver a vantagem para o Palace, assegurando a segunda vitória da época para os eagles, que já estão no 5º posto da Premier League; no Boleyn Ground, o jogo foi muito mais alucinante e teve um resultado histórico, pois o Bournemouth não só marcou o primeiro golo na Premier League como ainda conseguiu a primeira vitória na prova – começou a ganhar, com dois golos de Callum Wilson, deixou-se empatar, mas, em lances de contra-ataque voltou à vantagem no marcador, com Pugh e, outra vez, Callum Wilson a vincarem a vantagem sobre os da casa, que ainda reagiriam por Maiga, mas cujo golo não foi suficiente para inverter o rumo dos acontecimentos e do resultado final (3-4)

O City começou a vincar a diferença para os rivais, o Chelsea renasceu, o United cedeu os primeiros pontos, o Liverpool vai sendo uma fortaleza difícil de bater, o Leicester ainda não parou de surpreender e o Bournemouth garantiu uma vitória épica, pelo simbolismo e pelo resultado. Tudo numa jornada. A Premier League não desilude quem muito dela esperava.

Treinador da jornada:

Steve McLaren (Newcastle United) – Foi o responsável principal pelos primeiros pontos perdidos em Old Trafford, pelo United, dispondo a sua equipa num 4x2x3x1 declarado e sem necessidade de autocarros, pois Obertan, Wijnaldum, Perez e Mitrovic foram autênticas carraças na primeira fase de cosntrução dos red devils, impedindo a equipa de sair e, portanto, de criar situações de perigo.

Jogador da jornada:

Callum Wilson (AFC Bournemouth) – Foi auxiliado pela defesa do West Ham no hat-trick que assinou, beneficiando directamente de dois erros crassos dos orientados por Slaven Bilic (o outro golo foi apontado de penalty), mas nem por isso deixa de ser meritória deste prémio a exibição do jovem avançado inglês, pois foi muito além dos golos apontados. O seu nome ficará para sempre marcado na história do Bournemouth.

Foto de capa: Facebook do Arsenal

Comentários