A CRÓNICA: EVERTON FC “PINTOU” MERSEYSIDE DE AZUL

No grande derby de Merseyside, o Liverpool FC recebeu o Everton FC em Anfield Road, numa partida referente à jornada 25 da Liga Inglesa. Um resultado positivo nesta partida era essencial para as duas equipas, de maneira a virar a senda de maus resultados que ambas as formações têm vivido.

O encontro não começou da melhor maneira para a formação da casa, que se viu em desvantagem no marcador logo aos 3 minutos, depois de Richarlison abrir a contagem para os “Toffees”. A partir desse momento, os “Reds” assumiram o controlo do jogo, tentando chegar ao golo da igualdade com consecutivas investidas ofensivas, ainda que ineficazes. Apesar do maior pendor atacante por parte dos caseiros, o resultado não voltou a mexer até ao final do primeiro tempo.

A partida retomou no segundo tempo com o Liverpool a correr atrás do prejuízo, praticamente encostando o adversário às cordas, mas apesar das investidas, a eficácia na finalização teimava em aparecer. Como se costuma dizer, quem não marca sofre, e foi exatamente o que aconteceu, com o Everton a chegar ao segundo golo do jogo através de penálti, convertido com sucesso por Sigurdsson ao minuto 83. Os anfitriões não mostraram qualquer capacidade de resposta e acabaram mesmo por sair derrotados deste encontro.

Anúncio Publicitário

Com este resultado, o Liverpool, atual campeão, continua numa grave crise de resultados, ocupando a sexta posição da tabela classificativa com 40 pontos, vendo praticamente esfumar-se qualquer hipótese de revalidar o título. Já o Everton, que ocupa a sétima posição, passa a contar com os mesmos pontos dos rivais, registando um jogo em atraso.

 

A FIGURA

 

Richarlison – O avançado brasileiro foi, na minha opinião, o melhor jogador em campo, não só pelo golo marcado que colocou o Everton FC em vantagem no marcador, mas por todos os lances por ele criados, que muitos dores de cabeça deram à equipa adversária.

 

O FORA DE JOGO

 

André Gomes – Apesar do triunfo da sua equipa, o médio internacional português fez um jogo que ficou muito aquém das expetativas, tendo sido o pior elemento em campo, acabando mesmo por ser substituído no segundo tempo.

 

ANÁLISE TÁTICA – EVERTON FC

Os pupilos de Jürgen Klopp apresentaram-se num dispositivo tático de 4-3-3. Com várias lesões a assolarem a formação de Anfield e a obrigarem o treinador alemão a improvisar, principalmente na linha defensiva, os “Reds” voltaram a sofrer um revés, com Henderson, já adaptado a central, a ter de ser substituído ainda no primeiro tempo. Com os golos sofridos a serem um espelho das dificuldades que o Liverpool FC tem sentido no momento defensivo e com a falta de eficácia dos elementos ofensivos, a turma de Liverpool voltou a não conseguir demonstrar argumentos para conquistar um bom resultado.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Alisson (6)

Alexander-Arnold (6)

Kabak (6)

Henderson (6)

Robertson (6)

Thiago (6)

Wijnaldum (7)

Jones (6)

Salah (6)

Firmino (6)

Mané (6)

SUBS UTILIZADOS

Phillips (6)

Shaqiri (6)

Origi (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – LIVERPOOL FC

Carlo Ancelotti apostou num dispositivo tático de 5-3-2, um sistema claramente de contenção, como foi percetível ao longo do encontro, mas que permitiu surpreender o Liverpool FC no momento ofensivo com contra-ataques rápidos, apostando na velocidade e na profundidade dada primeiro pelo avançado brasileiro Richarlison, e depois pelo inglês Calvert-Lewin. Os “Toffees” mostraram-se muito bem organizados e compactos, conseguindo conter praticamente ao longo de todo o encontro as tentativas ofensivas da formação da casa, tendo sido também extremamente eficazes nos poucos momentos atacantes de que dispuseram.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pickford (8)

Coleman (7)

Holgate (6)

Keane (7)

Godfrey (7)

Digne (7)

Doucouré (6)

Davies (7)

Gomes (5)

Rodriguez (7)

Richarlison (7)

SUBS UTILIZADOS

Sigurdsson (7)

Calvert-Lewin (6)

Iwobi (-)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome