Anterior1 de 3Próximo

No Teatro dos Sonhos, o cartaz prometia um serão bem passado. E não desiludiu. Atores do mais alto nível e dois dramaturgos famintos por vitórias, proporcionaram um espetáculo emotivo, de parada e resposta.

As duas equipas apresentaram-se em 3-4-3, com muita mobilidade ofensiva e com destaque, nos da casa, para a estreia a titular de Diogo Dalot em jogos da Premier League. Mourinho, depois do empate em Southampton, acusou os seus jogadores de falta de atitude e de agressividade, dizendo mesmo que queria “cães raivosos” na sua equipa. Ora, os diabos vermelhos devem ter ouvido as declarações do seu técnico e entraram de garras afiadas, a pressionar em cima da defesa adversária e condicionando a saída do adversário. No entanto, o Arsenal conseguiu sucumbir a pressão inicial adversária e foi numa fase de equilíbrio que chegou à vantagem, através de um cabeceamento de Mustafi e com muita ajuda de De Gea, que não conseguiu segurar uma bola fácil.

A vantagem dos londrinos só durou 3 minutos, já que Martial restabeleceu a igualdade, na sequência de uma defesa incompleta de Leno a um livre de Rojo. Até ao intervalo, a fase mais feia do jogo, com muitos lances impetuosos que valeram a mostragem de 5 cartões amarelos e lesões a Holding e Ramsey.

Jogo muito discutido em Old Trafford
Fonte: Manchester United FC

A segunda parte também começou equilibrada, com as duas equipas a estudarem-se e os treinadores a ensaiarem as primeiras mexidas. No entanto, com um golo tudo reabriu. Foi aos 68 minutos que Rojo perdeu a bola em zona proibida, Mkhitaryan combinou com Lacazette e este bateu De Gea, num lance em que ainda ficou com mazelas. Se a reposta do United ao primeiro golo demorou 3 minutos, a do segundo demorou… menos de um minuto! A bola foi ao centro, Rojo despejou na frente, os defesas do Arsenal atrapalharam-se e Lingard apareceu na cara de Leno para fazer o 2-2. Que emoção!

O jogo continuou aberto e emotivo, com «bola cá, bola lá» e oportunidades nas duas balizas. O Arsenal foi quem esteve mais perto de voltar novamente para a frente do marcador, mas Aubameyang permitiu duas boas defesas de De Gea e Mkhitaryan desperdiçou à boca da baliza.

Pouco depois, apito final soou e o empate pode aceitar-se. O jogo nem sempre foi bem jogado, longe disso, mas a entrega dos jogadores em cada lance foi notável, havendo vários períodos de êxtase e loucura tal a intempestividade de aproximações a cada uma das balizas.

O Manchester United volta a empatar, desta feita com uma equipa do seu nível, mas que já está oito pontos à sua frente. Já o Arsenal continua em crescendo, somando já 20 jogos sem perder em todas as competições, 13 se só olharmos à Premier League.

 

Onzes Iniciais:

Manchester United FC: De Gea, Baily, Smalling, Rojo (Fellaini 72’), Dalot, Herrera, Matic, Darmian, Lingard (Pogba 75’), Martial (Lukaku 63’) e Rashford.

Arsenal FC: Leno, Mustafi, Holding (Lichtsteiner 36’), Sokratis, Bellerín, Torreira, Guendouzi, Kolasinac, Ramsey (Mkhitaryan 45’), Iwobi (Lacazette 65’) e Aubameyang.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários