Mesut Ozil e Alexis Sánchez já jogaram juntos e até há bom pouco tempo eram peças fundamentais para o Arsenal FC, na altura comandado por Arséne Wenger. No entanto, hoje ambos com 30 anos estão longe do auge das suas carreiras. Ozil, ainda nos Gunners, e Sánchez, que trocou o clube londrino pelo Manchester United, são pouco utilizados pelos respetivos treinadores.

Desde a temporada 2014/2015 e até 2018 partilharam o balneário do Emirates. Nesta altura, Ozil já estava no clube há um ano tendo vindo do Real Madrid C.F. por uma verba de 47 milhões de euros. Já o chileno trocou o FC Barcelona pelo Arsenal numa transferência que rondou os 43 milhões de euros. Os dois atletas têm um palmarés recheado de títulos, sendo que três deles foram conquistados em simultâneo (2 Taças de Inglaterra e 1 Supertaça Inglesa).

Posto isto, é estranho vermos dois jogadores de classe mundial serem “encostados”, quando ainda têm qualidade suficiente e sobretudo experiência capaz de ajudar os seus clubes a vencer partidas e conquistar troféus. Se verificarmos as estatísticas de Mesut Ozil e Alexis Sánchez na presente temporada, o alemão só realizou os 90 minutos por sete vezes, sendo que apenas cinco destes foram para a Premier League. Do lado chileno, Alexis apenas por uma vez foi totalista nos red devils esta temporada, isto na primeira jornada do campeonato frente ao Leicester City.

Fonte: Arsenal

Ainda assim é o antigo campeão do mundo que tem tido mais sorte esta época, com 20 jogos disputados. Apesar de ter realizado menos um jogo do que Sánchez, em todas as competições, Ozil tem mais minutos jogados e por isso mais golos marcados. São quatro os tentos certeiros do alemão contra apenas dois do internacional chileno. Números muito pouco convincentes e que não demonstram aquilo que realmente caracteriza estes dois grandes jogadores.

O passado foi de glória, podemos dizer assim, com os dois a ganharem bastantes troféus, a serem acarinhados pelos adeptos dos clubes que representaram e a vestirem as camisolas dos dois maiores clubes espanhóis, e quem sabe do mundo. O presente está longe do seu auge, com a falta de oportunidades e minutos para mostrarem a sua qualidade. E para o futuro, resta a sorte bater à porta dos dois craques, para voltarem a mostrar o bom futebol que ambos têm nos pés. Talvez uma saída para a MLS fosse uma boa montra para o regresso aos melhores tempos de Mesut Ozil e Alexis Sánchez.

Foto de capa: Premier League

Artigo revisto por: Jorge Neves

Comentários