Poucas coisas entusiasmam tanto os fãs de futebol como assistir ao nascimento de uma nova, jovem estrela. Em 2005, quando o jovem ponta-de-lança dinamarquês Nicklas Bendtner se estreou pelo Arsenal com apenas 18 anos, todos pensavam que estavam a ver um novo craque de classe mundial a dar os primeiros passos.

Quando foi emprestado ao Birmingham City na temporada seguinte, Bendtner pareceu confirmar as altas expectativas que caíam sobre ele: apesar de muito jovem, foi capaz de marcar 13 golos em 48 jogos na sempre competitiva segunda divisão inglesa. Seguiu-se um regresso ao Arsenal que começou por correr muito bem.

Sob a liderança do lendário técnico francês Arsène Wenger, Bendtner marcou mais de 40 golos em cerca de 100 jogos pelo clube londrino, que contava na altura com avançados da classe de Thierry Henry e Robin Van Persie no plantel. Mas em 2010, precisamente quando Bendtner devia ter explodido, uma série de maus comportamentos fora do campo começaram a pesar sobre as exibições do ponta-de-lança dinamarquês, que viu a sua carreira ir por água abaixo…

De super promessa a “Lord” da Internet

Depois de uma série de exibições medíocres, Nicklas Bendtner foi emprestado ao Sunderland, onde não conseguiu fazer mais do que 8 golos em 30 jogos. Seguiu-se um empréstimo à Juventus, um clube em que foi desfavoravelmente recebido pelos adeptos e onde acabou por jogar apenas 11 vezes. Em 2013, quando regressou ao Arsenal, Bendtner já tinha a fama de “Lord” que ainda hoje o caracteriza.

Anúncio Publicitário

O dinamarquês virou uma espécie de “meme” nas redes sociais, tornando-se na punchline de inúmeras piadas que exacerbavam os seus dotes futebolísticos… mas apenas de forma satírica.

O peso das críticas e as cada vez mais fracas exibições dentro de campo pesaram sobre a confiança do jogador, que acabaria por ser dispensado do Arsenal, o clube onde foi formado e onde jogou durante a maior parte da sua carreira. Seguiram-se passagens pelo Wolfsburgo da Alemanha e pelo Rosenborg da Noruega, onde manteve um bom registo de golos mas onde nunca conseguiu impressionar verdadeiramente.

Mais recentemente, passou pelo Copenhaga da Dinamarca, e em 2020/21 assinou pelo Tarnby FF, um clube amador que disputa o quarto escalão do futebol da Dinamarca. Em pouco mais de uma década, Bendtner passou de ser um dos melhores jovens avançados do mundo para se tornar num jogador de qualidade duvidosa. Mas quais são as verdadeiras razões que estão por trás do surpreendente declínio do “Lord” Bendtner?

Mulheres, álcool, e muita, muita festa

Para se ser um grande jogador de futebol não basta ter talento. É preciso também ter muita determinação, muita capacidade de sacrifício, muita vontade de trabalhar, e muita força de espírito para resistir às tentações que estão sempre a aparecer fora do campo. Nicklas Bendtner era especialmente mau a corresponder ao último destes requisitos. Um apaixonado pelas mulheres e pelas relações fúteis em particular, Bendtner chegou a admitir recentemente que recorria a prostitutas de forma recorrente. Mas aquilo que mais prejudicou a sua carreira foi provavelmente o seu gosto pelo álcool, que o levou a cometer muitos excessos e que o chegou mesmo a levar à ruína financeira…

Uma noite fatídica no casino quase lhe custou tudo

Jogar no casino não é necessariamente perigoso. É possível visitar o casino ou passar pelos jogos de casino online de 888 sem colocar em risco a nossa saúde financeira. Tudo o que é necessário é manter a cabeça fria, não ceder às emoções, e não gastar mais dinheiro do que aquele que temos. Mas visitar o casino a altas horas da madrugada depois de beber muito álcool é uma receita certa para o desastre. Foi isso que aconteceu a Bendtner quando, aos 23 anos, se sentou numa mesa de casino enquanto alcoolizado e perdeu, no espaço de poucas horas, cerca de 440 mil euros!

O ponta-de-lança dinamarquês expôs a situação numa entrevista recente ao jornal The Guardian, e admitiu que chegou a perder mais dinheiro no casino do que aquele que estava na sua conta. Em relação ao momento, Bendtner admitiu mesmo que gostaria de poder voltar atrás e dizer à versão mais jovem de si mesmo para não desperdiçar a grande oportunidade que tinha em mãos. Infelizmente, essa noite fatídica não foi a última noite de festa e diversão do futebolista, que acabou por arruinar a sua carreira numa série de festas fúteis.

Para os fãs de futebol, exemplos como o de Bendtner não deixam de ser trágicos. O “Lord” da Dinamarca podia ter-se tornado num dos melhores pontas-de-lança do mundo, mas acabou por desperdiçar tudo graças a uma série de atitudes irresponsáveis fora de campo. Jogava num dos melhores clubes do mundo, contava com um técnico de classe mundial, e partilhava o balneário com lendas como Henry, Fàbregas, ou Lehmann. No entanto, pouco mais de Bendtner resta hoje senão a fama de “Lord” e uma valiosa lição.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome