Está finalmente de regresso aquela que para mim é a melhor liga do mundo. E apesar de ainda não sabermos quando vamos poder contar com a presença dos adeptos nos estádios, este ano, como sempre, promete.

Pelo regresso de clubes históricos, pelo forte investimento de algumas equipas ou simplesmente pela forte presença portuguesa, a versão 20/21 da Liga inglesa tem todos os condimentos para mais um ano extremamente bem jogado e competitivo. Vamos então a uma pequena análise de cada um dos concorrentes:

AS EMOÇÕES DA PREMIER LEAGUE ESTÃO DE VOLTA E A IMPREVISIBILIDADE VOLTA A SER NOTA DOMINANTE. SABES QUEM VAI GANHAR? ENTÃO APOSTA JÁ EM BET.PT!

Liverpool FC: O campeão em título, a equipa em melhor forma e o grande favorito à conquista do título. Ainda assim, tendo em conta a forma como “passearam” na época passada, antevejo um ano com maiores dificuldades.

Anúncio Publicitário

Manchester City: Uma grande incógnita. Normalmente, Guardiola não dá ponto sem nó, mas foi uma equipa que desiludiu na época passada e que até agora mexeu pouco no mercado. Ainda assim, é o plantel com maior valor de mercado e com um treinador que é sempre competitivo.

Manchester United FC: Bruno Fernandes + 10.

Chelsea FC: Os reis do mercado de transferências. Enorme expectativa para ver como esta equipa (que de repente ficou repleta de jovens craques) poderá alinhar sob a batuta de Frank Lampard. Com os fantásticos jogadores que contratou, exige-se um Chelsea colado aos lugares cimeiros e com um futebol atrativo.

Leicester City FC: Apesar de manter o núcleo duro da equipa, será difícil repetir o sucesso da última época. A qualificação para a Liga dos Campeões ficou a uma jornada de distância, numa equipa que teve ainda o melhor marcador da competição (Jamie Vardy…pois claro). Vamos ver se mostra capacidade para aguentar uma temporada dura com a Liga Europa pelo meio.

Tottenham Hotspur FC: Teste de fogo para José Mourinho. No ano passado os resultados nem sempre foram os melhores, mas o treinador português teve duas atenuantes – a quantidade de lesões em jogadores fundamentais e o facto de ter pegado na equipa já com a competição a meio. Este ano não há desculpas e o treinador até tem recebido reforços interessantes. Esperamos que seja o regresso do bom velho Mourinho.

Wolverhampton Wanderers FC: Heróis do mar… nobre povo…” a equipa mais portuguesa que muitas equipas da nossa primeira liga. Principalmente por este motivo, a expectativa é enorme para perceber se a armada lusa de Nuno Espírito Santo vai exibir o nível que tem apresentado desde a chegada do treinador português. Uma das equipas que mais se mexeu no mercado de transferências e que melhor futebol tem vindo a apresentar nas últimas épocas.

Arsenal FC: Sabemos que o Arsenal é quase sempre aquela desilusão crónica. Por regra, é aquela equipa que até tem um futebol positivo, que apresenta bons momentos, mas no momento da verdade falha sempre. Depois da chegada de Arteta, o clube parece ter sido capaz de fazer as pazes com os títulos (uma taça de Inglaterra e uma supertaça). Conseguirá o Arsenal voltar ao top 4?

Sheffield United FC: A equipa sensação da primeira volta do campeonato 19/20 vai procurar repetir a dose na edição 20/21. Temo que a perda do guarda redes Dean Anderson possa afetar bastante o rendimento da equipa, dada a sua preponderância na última edição da prova. Tem a palavra Chris Wilder.

Burnley FC: Um dos mais fortes candidatos à descida, apesar da experiência que o treinador Sean Dyche tem nestas andanças.

Southampton FC: Uma equipa que tem sido sempre de altos e baixos. Ora atravessa períodos com um futebol muito positivo e bons resultados, ora mergulha em crises e jogos consecutivos sem pontuar. Se segurarem o vice goleador da edição passada (Danny Ings), ficam mais perto de alcançar uma prestação tranquila e longe do espectro da despromoção.

Everton FC: Uma das grandes desilusões da época passada. Ancelotti, à semelhança de José Mourinho, teve algumas condicionantes que o “desculparam” de desaires comprometedores. Esta época, ainda para mais depois de receber reforços sonantes como Allan ou James Rodriguez, o treinador italiano vai ter de puxar dos galões e colocar o Everton na luta pelos lugares europeus.