“Mas sempre foi assim”, pode alegar-se. É verdade. Mas dizia-se o mesmo há muitas décadas atrás, quando se colocavam sanguessugas no corpo para curar certas maleitas. “Mas sempre foi assim” até deixar de o ser. Evoluiu-se, revolucionou-se. E a revolução no futebol tinha de começar por algum lado. Ainda bem que partiu dos mais poderosos. A Liga Inglesa oficializou o fecho do mercado de transferências do próximo Verão para o dia 9 de Agosto, dois dias antes da competição começar. A partir daí, nenhum clube inglês poderá contratar, apenas vender.

O anúncio oficial da Premier League, relativo à antecipação do fecho do mercado de Verão de 2018 Fonte: Premier League
O anúncio oficial da Premier League, relativo à antecipação do fecho do mercado de Verão de 2018
Fonte: Premier League

Saem prejudicados? Talvez. Caso nenhum país lhes siga as pegadas, estarão quase um mês em desvantagem competitiva para com outras ligas, cujos clubes poderão comprar e fazer todos aqueles jogos obscuros de alicamento, “por fora”, com jogadores da Premier League. Mas convenhamos, esses jogadores estão na liga mais desejada do mundo e os seus clubes terão, de certeza, condições financeiras para rivalizar com uma proporção gigantesca de equipas de outros campeonatos.

Ou seja, se havia liga com margem para se sacrificar em detrimento do futebol, era a Premier League. Ainda bem que o fez. Os apaixonados, como o redator desta crónica, pelo futebol desporto, ficam eternamente gratos.

Foto de capa: Premier League