Não há campeonato melhor para provar que a idade é apenas um número. É na Liga Inglesa onde coabitam espécies raras de jogadores que duram até não poderem mais. Normalmente associada a uma maior intensidade, comparativamente a outros campeonatos, é nesta competição que, segundo observo, (ainda) se vive a essência do futebol. O futebol jogado para os adeptos. Onde sobrevivem os clubes de bairro. Aquela tradição mítica do Boxing Day.

Talvez, digo eu, se deva também pela valorização do jogador “velho”. Existe uma vasta lista de jogadores cuja idade é acima dos 35. Muito provavelmente, é por isto que grandes nomes do futebol europeu e mundial preferem passar as últimas épocas das suas carreiras em Inglaterra, em vez de irem à procura das chamadas “reformas milionárias” na China, Arábia Saudita ou Estados Unidos da América.

Neste top dos mais velhos da atualidade, figuram quatro guardiões e um jogador de campo, que se intrometeu nesta disputa entre homens nascidos nos anos 80.