4.

Demba Ba (e Petr Cech) – No “Teatro dos Sonhos”, o jogo tinha ficado empatado a duas bolas e na Taça de Inglaterra não há mais de 90 minutos (De referir que a eliminatória só não ficou logo decidida para nenhum dos lados devido aos guarda-redes: David De Gea e Petr Cech). Contudo, aqui a emoção é a dobrar e a tal “repetição” do jogo era agora na casa do adversário. Stamford Bridge era o palco para essa tal repetição.

Demba Ba já foi herói mais do que uma vez. Prometeu muito, no entanto, é ainda hoje mais recordado em Londres pelo golo que matou as esperanças do Liverpool FC (e do deslize de Steven Gerrard) de chegar ao título do que se calhar outro motivo. Mas desta vez foi herói e com grande estilo.

Vamos fazer uma pequena batota e ao nosso «herói» inicial juntamos outro. Por isso, deste jogo há três lances que ficam na retina dos adeptos do Chelsea FC pelos bons motivos e na de outros… por (muitos) maus motivos.

Primeiro, a defesa de Petr Cech com o pé (!). O internacional checo já estava balanceado para o lado esquerdo, mas os seus reflexos entraram em ação e não deixaram “Chicharito” fazer o gosto ao pé. Depois, aos 49 minutos, um momento de intensa magia. Um passe «ridiculamente» lindo Juan Mata encontrou Demba Ba e o senegalês esticou o pé direito para deixar pregado ao chão o jovem De Gea – um belo golo diga-se de passagem. Por fim, e é por isto que temos dois heróis, a defesa «impossível» de Petr Cech. A mão de esquerda do guarda-redes checo fez o «cech-mate» nas ambições dos red devils e Javier Hernandez nem queria acreditar que aquele cabeceamento não deu em golo.

Anúncio Publicitário