1.

Paul Pogba – Ah! Finalmente, um «diabo vermelho»! O cenário era o mesmo de dois jogos já mencionados neste artigo: Stamford Bridge. Muitos adeptos dos red devils que se deslocaram a Londres estavam apreensivos – e com razão -, mas prontos para a «vingança». Afinal, eram já cinco jogos sem vencer um grande rival na FA Cup.

Pogba estava naqueles dias “sim” e chamou a si toda a responsabilidade neste jogo. O médio francês solicitava muitas vezes a bola e quando era altura de soltá-la… ele soltava com critério. Provas disso é a assistência teleguiada para a cabeça do espanhol Ander Herrera (sim, aquele que em 2017 prejudicou a equipa marcava agora!), que apanhou desprevenida a defesa dos blues. Kepa só ficou mesmo a ver a bola abraçar as suas redes, tal como já tinha acontecido com De Gea em 2013.

Mas o espetáculo do seis do United ficava por aqui? Não! O segundo golo começa numa recuperação de bola do próprio Pogba e termina com o cabeceamento… pois é! Do mesmo Pogba. O francês encontrou bem do lado direito Marcus Rashford e o internacional inglês cruzou para área para aparecer que nem uma flecha, disparada de uma daquelas bestas da França do séc. XVI, para matar as esperanças do Chelsea na eliminatória.

Agora, resta saber se será um red devil ou blue a decidir a meia-final de 2020. Quem será o herói desta vez?

Anúncio Publicitário

Foto de Capa: Chelsea FC