Cabeçalho Liga Inglesa

A polémica mensagem de Antonio Conte a Diego Costa correu o mundo naquele que foi o primeiro grande tema do defeso dos ‘blues’, ainda antes da pré-época, numa altura em que o avançado ainda se encontrava com a seleção espanhola.

Mas, passando deste tema que assumiu proporções quase ‘tabloidescas’ para temas mais específicos no que toca à construção do plantel, da equipa e da forma de jogar, por esta ordem geral-específico, abordemos, primeiramente, as mexidas.

Além de Diego Costa, John Terry é a saída mais impactante de um capitão que cumpriu 22 anos ao serviço dos ‘blues’, movendo-se esta época para o Aston Villa. Nota ainda para as saídas em definitivo de Nathan Aké e Begovic para o Bournemouth, Juan Cuadrado para a Juventus ou Bertrand Traoré para o Lyon.

Nas entradas, e para compensar a saída de Begovic, chegou do Manchester City Willy Caballero, a custo zero, e os grandes investimentos passaram por Antonio Rudiger, defesa central ex-Roma, Tiemoué Bakayoko, médio defensivo que veio do Monaco, e Alvaro Morata, o negócio mais milionário, com o ponta de lança espanhol a mudar-se do bicampeão europeu Real Madrid.

A polémica mensagem de Antonio Conte a Diego Costa correu o mundo naquele que foi o primeiro grande tema do defeso dos ‘blues’ Fonte: The Sun
A polémica mensagem de Antonio Conte a Diego Costa correu o mundo naquele que foi o primeiro grande tema do defeso dos blues
Fonte: The Sun

O 3x4x3 que fez furor na Premier League na época transata, levando o clube de Abramovich ao título inglês, é, como não podia deixar de ser, a base tática para 2017/18.

Numa fase preparatória da época, ainda com várias regressados de empréstimos e jovens da formação no plantel, destaque para, até agora, na estadia em Singapura, para o central dinamarquês Andreas Christensen, de 22 anos, emprestado nas duas últimas épocas ao Borussia de Monchengladbach, um dos três de trás no esquema, com Azpilicueta e o novo capitão, Gary Cahill, sem esquecer David Luiz.

Nas alas, Moses e Marcos Alonso continuam a dar a chegada necessária ao ataque. No miolo da zona intermédia, N’Golo Kanté solta a criatividade de Fabregas, mas…atenção, ainda há o (ao que parece de saída) Matic e Bakayoko, opções de muito valor naquilo que será o robustecer da frente da defesa.

No apoio ao ponta de lança, Hazard, Willian, Pedro, Remy ou Batshuayi são um leque de imprevisibilidade ao redor de Alvaro Morata, grande aposta do Chelsea para o fim da linha de produção dos golos. Para já, na pré-época, o jovem de 20 anos Jeremy Boga mostra-se como um ativo talentoso para a posição mais adiantada do terreno.

Este sábado, diante do Internazionale, o Chelsea tem mais um teste preparatório. Frente a uma equipa italiana. Bom jogo para Conte fazer evoluir o seu 3x4x3.

Depois da má imagem que a polémica mensagem deixou, veremos que imagem deixará em 2017/18 Antonio Conte à frente do seu Chelsea, agora também europeu, outro dado novo em relação à última época.

Era uma vez um Conte italiano do 3x4x3 em Stamford Bridge: Parte 2.

Foto de Capa: Chelsea FC

artigo revisto por Ana Ferreira

Comentários