Willy Caballero devia ser um alvo de estudo. O internacional argentino de 38 anos não faz, nem nunca fez, parte da elite de guarda redes de classe mundial, mas, na verdade, acabou com duas hegemonias que pareciam insuperáveis em dois clubes diferentes. É caso para dizer que é um patinho feio, que sempre vira cisne.

A sua primeira vítima foi Claudio Bravo, no Manchester City FC, abrindo portas ao investimento em Ederson Moraes, e agora “sentou” o guarda redes mais caro da história, Kepa Arrizabalaga, no Chelsea FC.

Puxando a fita atrás, Caballero foi formado no gigante CA Boca Juniors, nunca se conseguindo impor na equipa principal. Em 2005, imigrou para Espanha, para representar o Elche CF da segunda divisão espanhola.

Só voltou a mudar de clube em janeiro de 2011, onde aceitou a proposta do Málaga CF, clube que vivia uma fase folgada, a nível financeiro, e conseguiu entrar na Liga dos Campeões, com vários craques nas suas fileiras.

Kepa não deverá continuar nos Blues, após perder o lugar para Willy
Fonte: Chelsea FC
Anúncio Publicitário

Em 2014, ruma ao Manchester City FC para ser o número dois de Joe Hart e depois de Claudio Bravo. Conseguiu, em momentos, “sacar” o lugar de Hart, mas ter tirado Claudio Bravo do onze inicial na época 16-17, foi muito mais mediático, terminando a época com 27 jogos realizados.

Em 2017, troca um grande de Manchester, pelo gigante de Londres, Chelsea FC. Primeiro para ser sombra de Courtois, que, entretanto, foi para Real Madrid CF, e depois de Kepa Arrizabalaga, que chegou por uns bombásticos 80 milhões de euros, proveniente do Athletic Bilbao.

Aos 38 anos, já ninguém dava nada pelo argentino, sobretudo, após o fiasco individual no mundial de 2018, onde perdeu a titularidade na fase de grupos da competição, após ficar ligado a um erro grave numa partida. Mas, a verdade, é que Caballero conseguiu convencer Frank Lampard a encostar Kepa, após uma quebra de forma do espanhol.

O mais engraçado é que Caballero nunca encheu o olho como guarda redes e tem características que o impedem de ser de topo, como por exemplo, pouca agilidade e pouca regularidade (fica ligado algumas vezes a resultados negativos das suas equipas por erros evitáveis).

De qualquer das formas, o argentino arranja sempre maneira de entrar no onze inicial e, dificilmente, Kepa voltará a ter oportunidade esta temporada.

Pelo facto de Kepa não ter convencido totalmente e de Caballero convencer Lampard a tirar o espanhol do onze, os dias de Arrizabalaga podem estar contados em Stamford Bridge, falando-se numa possível contratação de Jan Oblak.

Quanto a Caballero, aos 38 anos, engane-se quem pensava que o argentino iria terminar a temporada e encerrar a carreira. Em final de contrato, talvez faça pouco sentido a um guarda redes titular de um gigante como Chelsea FC, falar-se em fim de carreira.

Provavelmente, os Blues não serão o último clube da carreira do argentino, sendo que a própria renovação não está posta de parte.

Em caso de renovação, seria curioso ver se Caballero conseguiria terminar com a hegemonia do novo guarda redes do Chelsea FC.

Foto de Capa: Chelsea FC

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários