Anterior1 de 3Próximo

De outro mundo! O Wolverhampton de Nuno Espírito Santo derrotou novamente o Manchester United por 2-1 no Molineux e continua a grande campanha que tem vindo a realizar em Inglaterra. O português Diogo Jota, chamado recentemente à seleção nacional, voltou a marcar e o médio McTominay foi destaque do lado do United.

Num jogo com seis portugueses a titulares (Rui Patrício, Rúben Neves, João Moutinho, Rúben Vinagre, Diogo Jota e Diogo Dalot), os visitantes obrigaram desde cedo a equipa dos Wolves a jogar em ataque posicional, o que criou muitas dificuldades ao conjunto de Espírito Santo.

Dalot e Vinagre, dois jogadores da “Geração 99”, estavam frente a frente num dos corredores, de onde surgiu a primeira oportunidade de golo do encontro, aos cinco minutos: o ala do Manchester United efetuou um cruzamento tenso para a pequena área, Lukaku saltou mais alto que Bennett e Coady e, de cabeça, testou a atenção de Rui Patrício.

O United estava por cima na partida e, aos 13 minutos, inaugurou o marcador no Molineux: remate cruzado de McTominay de fora de área e estreia a marcar do escocês com a camisola dos Red Devils, ao seu 16º jogo.

O escocês McTominay fez o primeiro golo da partida, aos 13 minutos
Fonte: Manchester United FC

Quatro minutos depois de chegar ao golo, o United podia ter ampliado a vantagem para 2-0, mas Patrício protagonizou uma defesa espetacular, em resposta ao cabeceamento de Lingard.

Como se sabe, no futebol quem não marca sofre, e o Wolverhampton levou essa velha máxima a sério: pressing de João Moutinho sobre Fred, perda de bola do brasileiro em zona proibida e Diogo Jota a voltar a marcar ao United, após uma boa combinação de Vinagre e Jiménez. 25 minutos de jogo e a formação mais portuguesa da Premier League fazia o empate.

No segundo tempo, a equipa de Solskjær entrou com fome de bola e, aos 55 minutos, McTominay quase bisou na partida: Lukaku cruzou para a cabeça de Pogba, o francês tocou para o escocês e o camisola ‘26’ cabeceou para mais uma excelente intervenção de Patrício.

Dois minutos depois de o golo estar iminente, o Manchester United viu-se reduzido a 10 elementos, após a entrada imprudente de Ashley Young sobre Diogo Jota. O internacional inglês já tinha visto o cartão amarelo na primeira parte, e acabou receber ordem de expulsão do árbitro Mike Dean. O juiz de 50 anos tornava-se no primeiro da história da Premier League a exibir 100 cartões vermelhos.

Aos 77 minutos, na primeira chance de golo dos Wolves na etapa complementar, o conjunto de Nuno Espírito Santo fez o 2-1 no Molineux: Moutinho colocou a bola na área, a defesa do United e De Gea não se entenderam e Smalling acabou por marcar na própria baliza.

Smalling introduziu a bola na própria baliza à passagem do minuto 77
Fonte: Wolverhampton Wanderers FC

Já depois dos 90 minutos, Ivan Cavaleiro, que entrou em campo na segunda parte, apanhou-se sozinho diante de David de Gea e atirou com estrondo à barra da baliza do guardião espanhol.´

O Wolverhampton repetia o resultado de 16 de março frente ao Manchester United e reforçava a condição de sétimo classificado da liga inglesa. Já os Red Devils podem perder o quinto lugar para o Chelsea FC, caso os blues amanhã vençam o Brighton & Hove Albion FC em Stamford Bridge.

 

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

Wolverhampton Wanderers FC: Patrício, Bennett, Coady, Boly; Doherty, Dendocker, Neves (Saiss, 84’), Moutinho, Vinagre (Jonny, 76’); Jiménez, Jota (Cavaleiro, 73’).

Manchester United FC: De Gea, Young, Smalling, Lindelöf, Shaw; Fred (Jones, 65’), McTominay, Pogba; Dalot (Pereira, 84’), Lingard, Lukaku (Martial, 73’).

Anterior1 de 3Próximo

Comentários