A equipa mais portuguesa de Inglaterra continua a ser uma das equipas sensação da Premier League. O Wolverhampton está novamente a fazer uma época de grande qualidade, com menos recursos financeiros que várias equipas da Premier League e com um plantel jovem, com uma média de idades de 25,15 anos. Recentemente empatou para a taça de Inglaterra como o Manchester United, obrigando a uma futura repetição da partida, e há menos de duas semanas conseguiu uma reviravolta categórica sobre o Manchester City, vencendo o encontro por três bolas a duas.

Há duas épocas atrás, os Wolves, já comandados por Nuno Espírito Santo, conquistaram o Championship e garantiram desta forma a subida de divisão. No regresso ao principal escalão do futebol britânico ocuparam o sétimo lugar da tabela classificativa, garantindo o acesso aos playoffs da Liga Europa. Na presente temporada, os Wolves ocupam novamente o sétimo lugar no campeonato e já carimbaram o acesso à fase eliminatória da Liga Europa, terminando o grupo em segundo lugar, atrás do Sporting de Braga.

Os Wolves continuam a assumir-se em Inglaterra. Nuno Espírito Santo formou uma equipa bastante competitiva, com exibições regulares e que pratica um futebol atrativo e de grande intensidade.

Dando seguimento às grandes exibições da época transata, nesta equipa destacam-se os portugueses Rui Patrício, Rubén Neves, João Moutinho, o avançado ex Benfica Raúl Jímenez, o lateral direito Matt Doherty, e o capitão Conor Coady.

Sem dúvida, a grande revelação desta equipa é Adama Traoré. O médio direito espanhol de 23 anos formado no Barcelona tem vindo a subir de forma e afirma-se cada vez mais como uma figura indiscutível. Destaca-se pela sua velocidade e pelo seu físico, mas também pela sua polivalência. Pode atuar em toda a lateral direita, jogando como extremo explorando o ataque ou fazendo todo o corredor cumprindo missões mais defensivas. Tem vindo a ser essencial, e um exemplo foi a sua exibição na vitória recente frente ao Manchester City, marcando um golo e fazendo uma assistência.

Fonte: Wolverhampton Wanderers FC

Segundo o site especializado em valores de mercado no futebol, o jogador mais valioso do plantel é Rúben Neves, estando avaliado em 50 milhões de euros. Em segundo lugar encontra-se Raúl Jímenez, avaliado em 42 milhões de euros. A fechar o top 3 do Wolverhampton está Diogo Jota, que vale 35 milhões de euros.

No meu ponto de vista, a chave para o sucesso dos Wolves é a estabilidade. Desde 2017/18 que o clube aposta no mesmo treinador. Nuno Espírito Santo já provou o seu valor enquanto técnico principal, conquistando o título de campeão do segundo escalão do futebol inglês, e comandou a equipa numa época e meia brilhante na Premier League. A grande maioria dos elementos chave da última subida de divisão, da equipa mais portuguesa da Premier League, mantêm-se no plantel, como é o caso de Doherty, o capitão Coady, Boly, Rúben Neves e Diogo Jota, por exemplo.

Os Wolves jogam no próximo sábado em casa, no Molineux Stadium, frente ao Newcastle, 13º classificado do campeonato inglês. Neste jogo, a “armada lusa” espera voltar aos triunfos após duas derrotas consecutivas na Premier League. No dia 14, o Wolverhampton visita Old Trafford na repetição do jogo a contar para a taça de Inglaterra. Relativamente à Liga Europa, a equipa de Nuno Espírito Santo joga a primeira mão dos 16 avos de final da competição apenas no dia 20 de fevereiro. O Wolverhampton é o favorito a vencer a eliminatória, onde defrontará o último classificado da liga espanhola, o Espanyol.

Foto de Capa: Wolverhampton Wanderers FC

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários