Se Andrea Pirlo é o arquitecto daquele meio-campo fenomenal da Juventus, Arturo Vidal é o motor do mesmo. Compilando notáveis atributos de construção e destruição de jogo, Vidal é, tal como ele próprio disse – e bem -, o melhor box-to-box do futebol mundial. Arturo confere uma intensidade e uma dimensão física ao jogo, minuto após minuto, que o fazem parecer inesgotável, oferecendo à vechhia signora uma área de actuação quase total no campo.

Heatmap de Arturo Vidal na vitória da Juventus por 3-1 sobre o Inter em Fevereiro. Fonte: Goal.com
Heatmap de Arturo Vidal na vitória da Juventus por 3-1 sobre o Inter em Fevereiro.
Fonte: Goal.com

Vidal tem grande importância na manobra defensiva da sua equipa. Aliando uma força e uma resistência tremendas a uma capacidade de desarme muito apurada e a uma “raça” notável, Arturo torna-se um dos principais obstáculos pelos quais os adversários têm de passar. As estatísticas do chileno demonstram perfeitamente isso, pois ao longo da época passada o chileno completou 96 desarmes e alcançou 39 intercepções. Se Vidal fosse forte apenas nessa vertente já seria um jogador incrível e desejável para muitos treinadores; no entanto, combina uma preponderância elevada na manobra defensiva da vechia signora com uma igual ou ainda superior na manobra ofensiva. Essa preponderância advém de ser um excelente distribuidor e transportador de jogo, e ainda um bom finalizador.

O 23 da Juventus possui uma excelente capacidade de passe, uma técnica individual e um primeiro toque de elevado nível e ainda boa finalização com ambos os pés. Assim, é frequente vermos Vidal em tarefas de transporte de bola, a realizar brilhantes passes de rotura, fruto de uma visão de jogo fantástica e a aparecer à entrada da área para explorar o seu excelente remate. Mais uma vez, os números de Arturo atestam os seus atributos: o chileno criou 47 oportunidades de golo, completou 1229 de um total de 1469 passes executados, apresentou uma média de 81% de passes certos a longa distância e marcou ainda 11 golos na época passada. Por tudo isto, na minha opinião, Vidal não só é o melhor box-to-box do campeonato italiano, mas de todo o mundo. Vidal trata a bola de forma bela e é monstruoso a recuperá-la, e isso faz dele o melhor de entre os melhores.

Comentários