A CRÓNICA: GOLOS? JÁ SE ESPERAVA…

O jogo mais aguardado na retoma do campeonato italiano não só opôs as duas equipas com a melhor série de resultados, como colocou frente a frente o melhor ataque e a melhor defesa da liga. Ganhou o poderoso ataque da Atalanta BC e com direito a reviravolta, deixando a SS Lazio mais distante da Juventus FC. Se o jogo em si defraudou as expetativas? Dificilmente.

Mesmo sem jogar há quase quatro meses, a Lazio entrou com tudo, ao ponto de traduzir duas transições mortíferas em… dois golos. Primeiro com um auto-golo de Marten de Roon após corte infeliz e, ainda na primeira dúzia de minutos, com um grande golo de Milinkovic-Savic de fora da área. Esperava-se, naturalmente, uma reação do conjunto da casa, habituado a marcar muitos golos. E, como tal, sucederam-se as oportunidades. Zapata falhava de um lado, Immobile do outro. Ainda assim, a primeira parte não terminaria sem antes Gosens finalizar uma bela jogada coletiva e reduzir a desvantagem.

No segundo tempo, perante uma Lazio mais recolhida, a Atalanta continuou a ir atrás do resultado e, depois de tanta insistência, o tento do empate chegaria através de um fantástico remate de Malinovskyi. A verdade é que quando uma equipa está talhada para marcar… está sempre mais perto do sucesso. E assim foi… A dez minutos do fim, a equipa orientada por Gasperini chegou mesmo à reviravolta por intermédio do central Palomino e ainda podia ter ampliado a vantagem na reta final. Este resultado deixa, assim, a Atalanta segura no quarto lugar (com possibilidade de lutar pelo pódio) e a Lazio, que não perdia desde janeiro, a quatro pontos da líder Juventus.

Anúncio Publicitário

 

A FIGURA


Ruslan Malinovsky – Foi com alguma surpresa que apareceu no “onze” de Gasperini, mas tal qualidade não surpreende que tenha sido o melhor em campo. Jogou e fez jogar. Seguro nos duelos individuais, eficaz na condução, letal nas transições e perigoso a tentar a sua sorte junto da baliza adversária. Tudo isto levou a que o médio ucraniano assinasse o segundo golo da Atalanta (e que golo!) e tivesse ainda assistido para o tento da reviravolta.

 

O FORA DE JOGO


Duván Zapata – Há jogos assim… Uns mais felizes, outros mais ingratos. Zapata é, sem dúvida, uma das principais figuras desta Atalanta, mas esteve muito abaixo do esperado no duelo frente à segunda classificada. Bem marcado pela defensiva adversária, o colombiano não fez valer as suas capacidades, não causou mossa e falhou o pouco de que dispôs para marcar. Não foi de admirar a saída a meio da segunda parte.

 

ANÁLISE TÁTICA – ATALANTA BC

Gasperini decidiu fazer duas alterações em relação ao “onze” utilizado três dias antes: Tolói no eixo central e a aposta no médio Malinovskyi (fase à ausência do castigado Pasalic). A jogar em 3-4-1-2, será legítimo dizer que a habitual pressão alta acabou por trair a formação de Bérgamo no período inicial do encontro: duas perdas de bola lá na frente, dois pecados na transição defensiva, dois golos sofridos. Fiel à sua identidade, a formação da casa assentou o jogo, continuou a pressionar forte, a colocar muitas peças na área contrária e as oportunidades foram surgindo… ao ponto de conseguir uma fantástica reviravolta.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pierluigi Gollini (6)

José Luis Palomino (7)

Berat Djimsiti (7)

Rafael Tolói (6)

Robin Gosens (7)

Remo Freuler (7)

Marten de Roon (5)

Hans Hateboer (6)

Ruslan Malinovskyi (8)

Papu Gómez (7)

Duván Zapata (4)

SUBS UTILIZADOS

Timothy Castagne (6)

Luis Muriel (6)

Josip Ilicic (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – SS LAZIO

Com Lucas Leiva lesionado, Simone Inzaghi optou por lançar Cataldi (habitual suplente), mantendo, assim, o sistema 3-1-4-2. O muito tempo sem jogar nem se parecia fazer sentir na forma de jogar da Lazio que, logo a abrir, revelou ter a mestria necessária para vacilar as redes adversárias por duas vezes. Contudo, a estratégia para a segunda parte foi diferente. Com mais cautelas defensivas, a equipa de Roma baixou no terreno, deixou de atacar com regularidade e acabou por desperdiçar a vantagem madrugadora conquistada.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Thomas Strakosha (6)

Stefan Radu (6)

Francesco Acerbi (6)

Patric (5)

Jony (5)

Luis Alberto (6)

Danilo Cataldi (7)

Sergej Milinkovic-Savic (7)

Manuel Lazzari (6)

Joaquín Correa (6)

Ciro Immobile (5)

SUBS UTILIZADOS

Felipe Caicedo (5)

Marco Parolo (6)

André Anderson (6)

Jordan Lukaku (5)

Bastos (5)

Artigo revisto por Diogo Teixeira