Anterior1 de 3Próximo

Em dia de Boxing Day por Terras de Sua Majestade, o campeonato italiano decidiu pôr a bola a rolar neste dia, 47 anos depois, e o Inter-Napoli no Giuseppe Meazza era o grande jogo do cartaz em perspetiva. Após o empate da Juventus FC frente à Atalanta, o segundo e terceiro classificados procuravam reduzir a desvantagem pontual em relação à Velha Senhora.

No jogo de fecho da 18ª jornada da Serie A, a primeira oportunidade saiu do pé direito de Icardi, que, do círculo central, tentou surpreender o guardião Meret com um pontapé fortíssimo. O jovem italiano mostrou, contudo, que a inexperiência não é sinónimo de desatenção.

Apesar da pressão alta do Nápoles, o Inter ia fazendo circular a bola através dos seus criativos e, aos oito minutos, após uma excelente progressão de Perišić pelo flanco esquerdo, Politano quase marcava um golo digno de levantar o Giuseppe Meazza. A bola passou apenas alguns centímetros ao lado da baliza napolitana.

Após uma entrada bem conseguida do Inter na partida, o Nápoles soube equilibrar as contas e, aos 16 minutos, na sequência de uma grande jogada de ataque organizado, Milik serviu Insigne e o avançado italiano obrigou Handanovič a uma boa intervenção.

Aos 24 minutos, quando o conjunto orientado por Carlo Ancelotti era a fonte de maior perigo em campo, o técnico de 59 anos viu na lesão de Hamšík a primeira contrariedade no encontro. Com a saída prematura da estrela eslovaca das quatro linhas, o Nápoles passou a jogar com o recém-entrado Maksimović na ala direita, Callejón a médio direito, Zieliński a médio esquerdo e Ruiz a médio ofensivo, indo este último para o lugar até então ocupado pelo capitão dos napolitanos.

Numa noite muito fria em Milão, com a temperatura a rondar os 0ºC, os homens da casa iam explorando o corredor central de forma mais inteligente. João Mário e Borja Valero eram os dois responsáveis pela transição cautelosa do esférico até à área contrária. Aos 31 minutos, no seguimento de um ressalto provocado pelo remate do médio português, Perišić colocou a bola no fundo das redes. Porém, o croata estava em posição irregular e o árbitro Paolo Mazzoleni não hesitou em apitar.

João Mário fez o sétimo jogo a titular com a camisola do Inter nesta temporada
Fonte: Inter de Milão

Em cima do intervalo, Koulibaly mostrou o porquê de ser considerado um dos melhores defesas centrais da atualidade ao não deixar Icardi ser feliz após ter conseguido contornar Meret.

No segundo tempo, os napolitanos cresceram no jogo e iam sendo capazes de condicionar a saída de bola controlada pelos médios milaneses. Com o jogo partido e com o Inter a recuar muito no terreno, a situação começava a ficar mais favorável ao Nápoles e, aos 67 minutos, Callejón testou os reflexos de Handanovič, com um tiro rasteiro de fora da área. O espanhol aproveitava o espaço concedido pelos nerazzurri para visar a baliza do esloveno.

A dez minutos dos 90, o árbitro Paolo Mazzoleni não gostou dos aplausos “irónicos” de Koulibaly e deu ordem ao senegalês – um dos melhores em campo até ao momento – para ir tomar banho mais cedo. O central de 27 anos do Nápoles recebia o vermelho direto, segundos depois de ter visto cartão amarelo por falta sobre Politano.

A formação do Nápoles, já reduzida a 10 elementos, ainda teve discernimento para chegar à baliza do Inter, e Insigne quase fez o golo, mas a sorte acabou por sorrir a Spaletti e aos seus jogadores. Quando a partida se encaminhava para terminar a zeros e o relógio já passava dos 90, a jovem promessa Lautaro Martínez apareceu no sítio certo à hora certa e empurrou o esférico para dentro das redes dos azzurri. El Toro, que havia substituído João Mário aos 83 minutos, estabelecia desta forma o resultado final em 1-0.

No último minuto da compensação, ainda houve tempo para um desentendimento entre ambas as partes, e Insigne, à semelhança do que acontecera com o colega de equipa Koulibaly, acabou por ser expulso. O Inter garantia assim os três pontos frente a um dos principais rivais da Serie A e reduzia a distância para o Nápoles na tabela classificativa para cinco pontos.

 

ONZE INICIAL:

FC Internazionale Milão: Handanovič, D’Ambrosio, de Vrij, Škriniar, Asamoah; Brozović, Borja Valero (Vecino 64’), João Mário (Lautaro Martínez 83’); Politano, Perišić (Keita 74’), Icardi.

SSC Napoli: Meret, Callejón, Albiol, Koulibaly, Mário Rui; Allan, Zieliński, Fabián Ruiz (Ghoulam 78’), Hamšík (Maksimović 24’); Insigne, Milik (Mertens 71’).

Anterior1 de 3Próximo

Comentários