Krzysztof Piatek tem tido uma época inesquecível. Aos 23 anos, está a demonstrar toda a sua classe na Serie A, sendo que ainda há pouco mais de meio ano estava no modesto Cracóvia, da liga polaca. Em Génova só permaneceu seis meses, tempo de faturar 13 golos no campeonato e valorizar 30 milhões de euros, transferindo-se para o AC Milan por 35M€, depois de ter sido, no Verão, contratado pelo Génova por 4,5M€.

Foi a aposta principal dos rossoneri para suprir a ausência de Gonzalo Higuaín, que se transferiu para o Chelsea FC (e não se tem dado nada mal por lá). O polaco, no primeiro jogo pelo clube de Milão, saltou do banco a 20 minutos do fim, mas não conseguiu evitar o nulo perante o SSC Nápoles. Três dias depois, frente ao mesmo adversário, mas desta vez para a Taça de Itália, foi titular e extremamente importante, ao apontar os dois golos com que a sua equipa se qualificou para as meias-finais.

Foi um jogo quase perfeito para o jovem: deu muito trabalho aos defesas napolitanos, baralhando-os com as suas movimentações, mas também foi importante para a sua equipa, ao jogar de costas para a baliza, oferecendo linhas de passe e segurando o jogo em terrenos adiantados. Também soube aproveitar muito bem o espaço nas costas da defesa adversária e foi assim que surgiram os golos: no primeiro, numa bola algo bombeada, dominou orientado para a baliza e, no cara a cara com o guarda-redes, não tremeu; já no segundo, revelou muita qualidade técnica ao receber um passe longo no peito, trabalhar sobre Koulibaly, puxar para dentro e rematar fulminantemente em arco para o fundo da baliza. Dois golos de levantar o estádio e fazer os adeptos esquecer o seu antecessor.

Piatek dá sempre muito trabalho aos defesas adversários
Fonte: AC Milan

No terceiro jogo ao serviço do AC Milan, voltou a picar o ponto. Frente à AS Roma, no Olímpico, demonstrou frieza e faro de golo, e o seu tento foi exemplo disso mesmo, ao antecipar-se Fazio e desviar um cruzamento de Paquetá (outro reforço de janeiro) para o fundo das redes adversárias. De remate fácil, criou diversas situações de perigo e ainda foi importante no momento defensivo, pressionando os defesas romanos.

Contas feitas, Piatek leva três golos em três jogos (incompletos). Se tivermos em conta apenas os minutos em que esteve em campo, leva um golo a cada 60 minutos. Um registo fantástico que será muito difícil de manter, mas será interessante acompanhar a performance de Piatek no AC Milan, um casamento que parece ter tudo para ser bem-sucedido.

Foto de Capa: AC Milan

Comentários