Que saudades de um Inter de Champions a sério! Desculpe, caro leitor, a exclamação inicial, mas ela é apenas uma expressão da atual boa fase do Internazionale Milano de Luciano Spaletti, que lidera o grupo B da Liga dos Campeões a par do Barcelona, com os mesmos seis pontos, após duas jornadas vitoriosas em jogos que esteve a perder 1-0 e virou para 2-1.

A recente jornada europeia ainda está bem quente, mas a formação milanesa procura também seguir o trilho dos triunfos na Série A, competição em que soma três vitórias consecutivas depois de duas derrotas, um empate e uma vitória nos primeiros quatro jogos.

A crise inicial está ultrapassada e agora o momento que se vive é de bonança e a aproximação aos da frente da classificação ocorre gradualmente: os ‘nerazzurri’ estão no quarto lugar com 13 pontos, a dois pontos do segundo, Nápoles, e a oito do líder, a heptacampeã italiana Juventus. Talvez a palavra “bonança” seja um pouco exagerada, pois nesta equipa já vimos duas caras, isto é, desde que Spaletti assumiu o comando técnico – cumpre a segunda temporada.

Na época passada, sem competições europeias, o Inter até começou muito bem e desenhou um rumo promissor, ocupando, nalgumas jornadas, a liderança da Serie A. A determinada altura, quebrou em termos de resultados e acabou com apenas uma percentagem de 50% de vitórias em jogos oficiais: 20 em 40 jogos.

O ponta-de-lança Mauro Icardi marcou o golo da vitória em frente ao PSV Eindhoven na passada quarta-feira. Cumpre a sexta época no Inter
Fonte: FC Internazionale Milano
Anúncio Publicitário

O calendário que aí vem é duro. Depois de jogar fora no campeonato diante do SPAL, os nerazzurri jogam de forma consecutiva com AC Milan e Barcelona. Se o primeiro – um clássico dos clássicos do futebol – serve para testar a boa série interna, o segundo, no Camp Nou, pode bem confirmar ou não se temos de volta o Inter europeu de outros tempos, não muito distantes, mas também não muito próximos.

Centrada na organização e rigor do seu treinador, esta equipa não é de marcar muitos golos, mas, quando nos seus melhores dias, é um osso bem duro de roer. Com Naingoolan, Vecino e Brozovic no setor intermédio, a estrutura do desenho tático ganha robustez muito aceitável. Na frente, Icardi, apoiado por jogadores como Perisic ou Politano, pode sempre decidir dentro da área. Lá atrás, D’Ambrosio, Stefan de Vrij, Skiriniar ou Asamoah são rostos de uma das melhores defesas da Serie A; no banco ainda estão nomes como Ranocchia ou Miranda…

Um segundo ano de Luciano Spaletti e uma maioria experiência da equipa no seu todo podem ser argumentos suficientes para, finalmente, vermos o Inter levantar um troféu. Resta saber se a regularidade se vai manter.

Foto de Capa: FC Internazionale Milano

Comentários