Não se julgue que estou a defender Benítez, de quem não sou admirador, mas a verdade é que, não tendo os jogadores consigo (em parte por culpa própria), estava condenado ao insucesso quaisquer que fossem as decisões que tomasse. Zidane partia logo em vantagem por ser uma figura admirada por toda a gente em Madrid, isso já sabíamos. Agora sabemos que o francês também tem outras qualidades.

Zidane não parece ser um génio tático ou um revolucionário como é Guardiola e como foi, em tempos, Mourinho. Nada disso. Nem estou certo de que Zidane possa ter sucesso noutros clubes, mas no Real Madrid, até ver, resulta na perfeição. Não inventa e as decisões que vai tomando parecem sempre lógicas e naturais. Pode parecer pouco, mas, num grupo com tantos egos e num cargo em que se é alvo de tantas e tão variadas pressões, fazer com que essa gestão pareça simples é um dos grandes méritos de Zidane.

Asensio e Morata têm sido peças importantes no Real Madrid de Zidane Fonte: Real Madrid C.F.
Asensio e Morata têm sido peças importantes no Real Madrid de Zidane
Fonte: Real Madrid C.F.

A forma com tem sabido gerir os egos dentro do plantel tem sido perfeita. Benítez, por exemplo, meteu logo o pé na argola ao não querer dizer explicitamente que Ronaldo era o melhor jogador do mundo. Para Zidane, pelo menos em frente aos microfones, Ronaldo é sempre o melhor do mundo e a BBC (Benzema, Bale, Ronaldo) está acima de todos os outros jogadores. Depois, em campo, a verdade é que Benzema ficou no banco nos últimos dois jogos e que Ronaldo já vai sendo substituído, de vez em quando, mesmo que não goste. Nas conferências de imprensa, Zidane é só sorrisos e simpatia. No campo, não tem medo de tomar as decisões que acha serem melhores para a equipa.

Assim, jogadores como Morata, Lucas Vázquez, Asensio ou Isco que, à partida, seriam segundas opções, têm tido mais minutos de jogo do que eles próprios esperariam, provavelmente. Até Kovacic e Nacho já tiveram boas oportunidades de se mostrarem, beneficiando da onda de lesões no plantel do Real Madrid que, só esta época, já atingiu Ronaldo, Benzema, Modric, Kroos, Casemiro, Pepe e Sergio Ramos, por exemplo.

Falta agora a Zinedine Zidane conquistar a Liga Espanhola, título que o Real Madrid só conseguiu por uma vez nas últimas oito épocas, para convencer até os mais cépticos das suas qualidades enquanto treinador. A visita ao Camp Nou, dia 3 de dezembro, poderá ser importante para esse objetivo, ainda que haja muito campeonato pela frente.

Anúncio Publicitário

 

Imagem de capa: Real Madrid C.F.