Cabeçalho Futebol InternacionalPeça importante no tri campeonato do Benfica e na boa campanha dos encarnados na Liga dos Campeões, convocado para o Europeu de 2016 da Seleção Portuguesa, titular em quase toda a fase a eliminar, joga a final, eleito o melhor jogador jovem do torneio, transfere-se para o Bayern Munique, ganha o Golden Boy, tudo isto aos 18 anos. Tudo isto é Renato Sanches.

Um ano depois, apresenta-se no Euro Sub-21 muito longe daquilo que sabe e pode e teve uma época onde passou mais tempo entre a bancada e o banco do que propriamente em campo e o universo futebolístico não perde tempo a crucificá-lo.
A época menos fulgurante do Bulo não é difícil de explicar: no Benfica, era Renato mais 10; no Bayern, foi Renato mais Xabi Alonso, mais Vidal, mais Thiago e mais Kimmich.
Ora, isso só por si só já justifica alguma coisa, mas se tivermos em conta que o jovem ainda teve que se adaptar a um novo país, a um novo campeonato – com outras exigências – e, principalmente, a uma nova forma de jogar, é natural que o internacional português não tenha sido o Renato a que nos habituou.
Desde logo, desconfio que a cultura de jogo – ainda com muito de Guardiola – do Bayern não o favoreceu. No Benfica de Rui Vitória, não eram raras as vezes em que a equipa jogava em transições rápidas, permitindo a Renato ser o elo de ligação entre a defesa e o ataque, galgando metros como ninguém.

Fonte: SL Benfica
Fonte: SL Benfica

No clube da Baviera, apesar de Guardiola ter saído e Ancelotti ter chegado – o italiano também é fã de transições rápidas – a equipa não se desligou completamente do estilo do espanhol e o jovem formado no Seixal teve que se adaptar a um estilo mais pausado e cerebral e menos elétrico e rasgado, tendo mais dificuldade em mostrar todo o seu futebol.
Apesar de todas estas dificuldades e do menor fulgor, Carletto e os responsáveis do campeão alemão foram demonstrando, ao longo da época, muita confiança no jovem português. Renato pode ter passado de bestial a besta para muitos, mas para outros a qualidade continua a estar lá e é uma questão de tempo até voltar ao seu nível.

Pode ser no Bayern ou não, mas o Bulo já deu provas de que tem características únicas num médio e que tem tudo para singrar ao mais alto nível no futebol. Não é uma época menos positiva que o afasta do topo. Muito pelo contrário, desconfio que Renato voltará ainda com mais «fome».

Foto de Capa: Facebook oficial Renato Sanches

 

Comentários