St.Gallen ou em bom Português São Galo é uma pequena cidade num extremo da Suíça, com apenas 74 mil habitantes que se encontra mais perto da Alemanha do que o grande centro financeiro que é hoje Zurique.

Fundado em 1879, o clube FC St.Gallen, conseguiu arrecadar o título de campeão no longínquo ano de 1904 e mais recentemente no virar do século, em 2000. Desde então, o campeonato suíço entrou numa hegemonia dupla, comandada pelo FC Basel 1893 e pelo Berner Sport Club Young Boys, mais conhecido só por Young Boys. Mas este ano tem sido diferente, e o grande culpado é a equipa de St.Gallen que até à data da interrupção dos campeonatos, liderava a Super Liga Suíça em igualdade pontual com os Young Boys e com cinco pontos de vantagem do FC Basel.

Até à data, não sabemos qual será o desfecho do campeonato suíço, mas mesmo que o St.Gallen não consiga derrubar esta hegemonia de forma oficial, é certo que merece a nossa atenção. Hoje, vou investigar os pressupostos do sucesso desta equipa e convido-vos a ler as minhas conclusões.

A Suíça nos últimos anos tem nos vindo a presentear com talentos no futebol e isso é algo que tem sido plenamente explanado nos resultados internacionais da seleção Suíça.

Anúncio Publicitário

A equipa apresenta-se como das mais jovens, se não a equipa com uma média de idades mais baixa do Campeonato, apostando num misto de jovens suíços, entre eles, Cedric Itten, já ele internacional pela sua Seleção com duas internacionalizações e três golos, neste momento afigura-se como um dos melhores marcadores da Liga.

A equipa também tem apostado em alguns jogadores vindos de ligas inferiores de outros países, Jordi Quintallá de 26 anos é um perfeito exemplo do que falo, o médio em 2018 foi transferido do desconhecido Puerto Rico FC e tem sido uma das figuras da Liga Suíça, Demirovic emprestado pelo Alavés é neste momento o melhor marcador do St. Gallen, com dez golos marcados. Lukas Maria Görtler transferiu-se do FC Utrecht, Yannis Letard da terceira liga Alemã e tem sido figura de estaca no 11 de Peter Zeidler, treinador Germânico na segunda época ao serviço da equipa Suíça.

Já com algum faro treinado ao reconhecer trabalho de scouting e prospeção de qualidade, e apesar de ainda não haver noticias a falar sobre o mesmo, parece-me evidente que a época do St.Gallen não é fruto do acaso, mas que estamos perante um trabalho sustentado e de qualidade. Apesar das condições financeiras do St.Gallen estarem longe das melhores da Super Liga Suíça, têm conseguido recrutar jogadores de qualidade para fazer face aos melhores do seu campeonato, algo que poderá resultar em transferências avultadas, permitindo ao clube realizar um salto qualitativo e, quem sabe, começar a almejar resultados internacionais relevantes.

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão