internacional cabeçalho

6 de Novembro de 2015, o dia de todas as decisões: Columbus Crew e Portland Timbers discutem hoje o título de campeão da Major League Soccer. Após uma longa e competitiva temporada, que analisaremos neste artigo, tudo se decidirá em 90 minutos, caso haja vencedor, 120 ou mesmo nas grandes penalidades.

Conferência Este:

Este ano, na conferência este, o segundo classificado da fase regular, Columbus Crew, acabou por ser coroado campeão, ao vencer na final dos playoffs os New York Redbulls, vencedor da fase regular. Vão, por isso, disputar o título da MLS com o vencedor dos playoffs da conferência Oeste, os Portland Timbers.

Os New York Redbulls confirmaram favoritismo e venceram a fase regular com o melhor ataque (62 golos marcados) – destacando-se Bradley Wright-Phillips, a tomar as rédeas com 18 golos marcados – e a melhor defesa (43 golos sofridos). Destaque para o jovem Matt Miazga (defesa central) que se afigura como um dos grandes jogadores da MLS,Por outro lado, o Columbus Crew foi a quinta melhor defesa (53 golos sofridos) e o segundo melhor ataque (58 golos marcados), a par da equipa canadiana de Toronto.

Anúncio Publicitário

Nesta conferência destacam-se dois jogadores: Sebastián Giovinco, que venceu o prémio de MVP da MLS e jogador conhecido do público europeu que atua pela equipa do Toronto, e Kaiansu Kei Kamara, jogador do Columbus Crew. Os dois avançados sagraram-se melhores marcadores da conferência, com 20 golos cada um. O antigo avançado da Juventus deleitou os adeptos dos Reds e ajudou a equipa a conseguir um recorde de 35 pontos na fase regular, com alguns apontamentos de grande classe.

Pela negativa, destaque para 2 equipas: Orlando City SC e New York City FC. A equipa de Orlando, que, mesmo contando com Kaká, não conseguiu sequer chegar aos playoffs. Orlando contava ainda no seu plantel com dois portugueses: Rafael Ramos, jogador que fez a formação no SL Benfica, disputou 20 jogos e demonstrou alguma qualidade; e ainda Estrela, que, contrariamente ao seu colega, não realizou qualquer partida.  Relativamente a equipa dos New York City FC, a desilusão é ainda maior. Se olharmos para o plantel dos nova iorquinos,  vemos nomes como Iraola, Lampard, Pirlo ou Villa. No entanto, a equipa ficou aquém das expectativas e ficou no oitavo lugar. Nota ainda para o jovem Cyle Larin, avancado canadiano, que foi considerado rookie do ano.De referir ainda que ambas as equipas foram um franchises em estreia e, por isso, esperam-se grandes melhorias para o futuro.

12309627_10153775841203887_8113205348873728171_o
Sebastian Giovinco, na imagem, foi considerado o MVP da MLS.
Fonte: Facebook Oficial da Major League Soccer

Conferência oeste:

Na conferência oeste, O Dallas FC voltou a ganhar a fase regular, como já havia acontecido em 2006. Os Toros, um dos clubes fundadores da Liga norte-americana, mostraram veia goleadora e foram o segundo melhor ataque da liga (53 golos marcados), atrás do LA Galaxy (56 golos marcados). A nível defensivo posicionaram-se em terceiro lugar, com 39 golos sofridos, superados pelos 36 dos Whitecaps e dos Sounders. O registo defensivo prende-se, essencialmente, com alguns jogos menos conseguidos e que resultaram em derrotas pesadas, como por exemplo Sporting KC 4-0, Seattle Sounders 3-0, Colorado Rapids 0-4, representando quase um terço desses golos sofridos. De resto, excetuando estas nuances, apresentaram-se como uma boa equipa, sem que se destaquem individualidades.

Por outro lado, os Portland Timbers, equipa criada há apenas cinco anos, mostraram bom futebol e, surpreendentemente, atingiram o terceiro lugar nesta fase regular, com os mesmos pontos do segundo classificado. Os Timbers, apesar de registos ofensivos e defensivos que deixam muito a desejar (estão em sétimo em ambos, com 41 golos marcados e 39 sofridos), conseguiram um lugar de acesso aos playoffs e, daí, uma fantástica e inédita presença na grande final. Este desempenho explica-se, essencialmente, por vitórias cruciais conseguidas em jogos muito difíceis, entre elas a vitória por 5-2 no terreno do Galaxy, as duas vitórias caseiras frente ao FC Dallas por 3-1, e ainda a vitória no terreno do Columbus Crew, da conferência este, por 2-1.

Pela negativa destacam-se os campeões de 2014, LA Galaxy. Com um plantel com grande qualidade, com jogadores como Steven Gerrard, Robbie Keane, Juninho e Giovani dos Santos, o plantel de Los Angeles ficou-se por um modesto sexto lugar e falhou ainda o acesso à final. Os 56 golos marcados (melhor ataque da conferência) não foram capazes de suportar uma defesa muito permeável, que concedeu nada mais, nada menos, do que 46 golos (terceira pior defesa da conferência). Robbie Keane bem tentou (fez 20 golos), mas o bicampeão das épocas 2011 e 2012 não conseguiu igualar a qualidade que tinha vindo a demonstrar nos últimos anos nem reafirmar o seu estatuto de melhor equipa norte-americana.

A final: Columbus Crew Portland Timbers

Chega hoje ao fim mais um ano da MLS,  quando Columbus Crew e Portland Timbers se defrontarem às 20h45m, jogo com transmissão em direto no canal Eurosport. De destacar, e num dos pontos mais atrativos desta MLS, que ambos chegam ao decisivo jogo sem terem vencido as respetivas fases regulares (Columbus foi 2º na conferência Este e os Timbers ficaram em 3º na oeste, ambos com 53 pontos).

Começando com alguns factos, como já foi referido, o Columbus Crew terminou com 58 golos marcados e 43 sofridos, enquanto a equipa de Portland fechou a fase regular com 41 golos marcados e 39 golos sofridos. Curiosamente, ambas acabaram com 15 vitórias, 8 empates e 11 derrotas. A última final disputada pelo Columbus Crew foi em 2008, quando se sagraram campeões, pela única vez, vencendo o New York Redbulls. Por outro lado, o Portland Timbers nunca atingiu uma final da MLS. Fanendo Adi, do Portland Timbers, e K. K. Kamara, do Columbus Crew, partem como principais goleadores.

É também importante frisar que, nos últimos seis anos, os L.A. Galaxy marcaram presença em quatro finais e pecam por ausência nesta, tendo sido eliminados pelos Seattle Sounders nas meias-finais da conferência oeste.

Assim, e apesar da imprevisibilidade habitual das finais no futebol, e ainda mais da MLS, o Columbus parte com ligeiro favoritismo, até porque os Timbers só têm cinco anos de história. A equipa de Ohio vai querer dar aos seus adeptos a alegria de serem campeões, novamente, e vai procurar pôr toda a sua experiência e qualidade em campo. No entanto, a equipa de Portland fez um época muito interessante e apresenta jogadores com bastante qualidade, tais como Aspirilla e Fanendo Adi, podendo por isso causar uma surpresa. Deste modo, espera-se uma final de boa qualidade, bem disputada e, provavelmente, com golos. Adi e Kamara, das respetivas equipas, vão procurar confirmar o estatuto de goleadores máximos e tentar assinalar a diferença no marcador.

Artigo com a colaboração de Afonso Pais

Fonte foto de capa: Facebook Oficial da Major League Soccer

Comentários