É sem dúvida o clube mais sonante da Bélgica mas atualmente os ventos não sopram de feição para os lados do RSC Anderlecht. Os roxos e brancos atravessam águas turbulentas e a navegação dificulta-se quando não há estabilidade ao leme. Em pouco mais de dois meses o clube já teve três treinadores diferentes, despediu o diretor técnico e está afundado na tabela classificativa da liga Belga.

Com nove jogos disputados no campeonato, a equipa da comuna de Anderlecht, cidade de Bruxelas, soma seis pontos e ocupa o 13º lugar da classificação. Uma prestação no mínimo tímida, para um clube que é um crónico candidato ao título no seu país e que conta com uma Taça UEFA, duas Supertaças Europeias e duas Taças das Taças no seu museu, para além de várias dezenas de troféus nacionais.

Recentemente o clube sofreu para derrotar o modesto Beerschot Wilrijk (2ª divisão Belga) nos 1/16 da Taça da Bélgica e depois do empate a zero no último fim-de-semana frente ao Waasland-Beveren, penúltimo classificado da Jupiler Pro League, algumas dezenas de adeptos manifestaram o seu desagrado com a atual situação do clube. A instabilidade que o Anderlecht atravessa deve-se principalmente ao desgoverno e à falta de um líder na equipa, que já vai no terceiro treinador esta época quando ainda só estamos no início de Outubro.

Ora vejamos como se passou esta “dança das cadeiras”: Vincent Kompany, antiga estrela do Manchester City FC, foi apontado como treinador-jogador no final da temporada passada. Mas as funções do defesa belga como treinador-jogador duraram apenas quatro jogos oficiais: na sequência dos maus resultados e das fracas exibições da equipa, Kompany cedeu o lugar de timoneiro a Simon Davies, que desempenhava anteriormente as funções de treinador-adjunto. Mas o papel do galês ao leme do Anderlecht durou pouco e ao fim de dois meses de competição o clube apresenta agora o seu terceiro treinador esta época, com Frank Vercauteren, histórico jogador do clube e antigo treinador do Sporting CP, a ser chamado para segurar o barco e evitar que se afunde ainda mais.

Frank Vercauteren está de regresso ao comando do Anderlecht
Fonte: RSC Anderlecht

Para além disso o Anderlecht também anunciou esta semana a demissão de Frank Arnesen como diretor técnico do clube. Há muito que a comunicação social e os adeptos se perguntavam sobre quais as reais funções do ex-jogador no clube e a direção decidiu “limpar a casa” e terminar o ciclo do dinamarquês. Este é apenas mais um sinal da instabilidade que reina no clube da cidade de Bruxelas.

No comunicado enviado aos meios de comunicação, a administração do Anderlecht destaca a escolha de Vercauteren por ser um homem da casa, com uma enorme bagagem de futebol e um conhecimento ímpar do futebol belga. Ao mesmo tempo, a direção acredita que o novo treinador se encaixa perfeitamente na filosofia do clube, focada no trabalho com jovens e em apresentar um futebol atraente e ofensivo.

Se é verdade que o clube tem um plantel jovem e reforçou a aposta na formação, também não é menos verdade que é no ataque que o Anderlecht tem apresentado mais debilidades. Com apenas seis golos marcados no campeonato, os roxos e brancos são o segundo pior ataque da competição, um dado que mostra que o vento não tem estado de feição no momento do remate.

Apesar de a época ainda estar no início, o clube precisa desesperadamente de alguém que assuma o leme, conduza a equipa a águas mais calmas e siga a rota dos títulos. E se há alguém que conhece esse caminho é Vercauteren, uma vez que já levou o clube à glória como jogador e como treinador.

Foto de Capa: RSC Anderlecht

Comentários