A derrota do FC Steaua de Bucareste com o Universidade Craiova na última jornada fez o Fotbal Club CFR 1907 Cluj de António Conceição assumir a liderança da Liga Romena. Este sábado o rival da capital joga primeiro que a equipa orientada pelo técnico português e pode colocar pressão no atual campeão. Dois pontos separam as duas equipas.

Na sua equipa, Toni Conceição conta com portugueses ou velhos conhecidos do nosso futebol, casos do português Camora, lateral-esquerdo ex-Beira-Mar e Naval, a cumprir a oitava época no Cluj, ou do defesa-central brasileiro Paulo Vinícius, que, em Portugal, jogou em clubes como CD Santa Clara, Leixões SC, SC Olhanense, União Desportiva de Leiria, SC Braga, Boavista FC e faz agora a segunda temporada no Cluj.

Para além destes dois exemplos, o clube que já foi quatro vezes campeão da Roménia conta com o avançado Thierry Moutinho, luso-suíço que nunca jogou em Portugal.

Por outro lado, o nome mais sonante para o adepto do futebol num sentido mais geral é o de Júlio Baptista. Sim, esse mesmo, o ex-Real Madrid CF, Sevilla FC, Arsenal FC, AS Roma…que apenas participou em dois jogos e, em algumas ocasiões, nem convocado foi, o que provoca grande discussão na imprensa desportiva romena…Tem 37 anos…

António Conceição procura o seu segundo título romeno, o ‘bi’ do Cluj Fonte: Cluj

António Conceição já ganhou tudo o que havia para ganhar na Roménia – Liga (2009/10), Taça (2008/09, 2009/10 e 2015/16) e Supertaça (2010), tudo ao serviço do Cluj, num país onde também orientou o FC Brasov e FC Astra Giurgiu.

Depois de um início de temporada atribulado, com e eliminação da Liga Europa aos pés do F91 Dudelange, do Luxemburgo, o técnico português parece agora fazer os seus detratores engolir em seco. Este domingo, mais um teste à liderança, fora, frente ao Sepsi OSK.

 

Foto de Capa: Fotbal Club CFR 1907 Cluj

Artigo revisto por: Jorge Neves 

 

Comentários

Artigo anteriorO comboio da linha de Turim
Próximo artigoO que se passa no pavilhão João Rocha?
O futebol foi a primeira paixão da infância, no seu estado mais selvagem e pueril. Paixão desnuda. Hoje não deixou de ser paixão, mas é mais madura, aliada a outras paixões de outras idades: a literatura, as ciências sociais, as ciências humanas.                                                                                                                                                 O Rúben escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.