A vitoria em Outubro frente à Alemanha que permitiu dar um passo gigante rumo ao apuramento teve também o condão de aumentar o animo e as expectativas em relação à participação no Euro. 4 anos depois da participação no Euro 2012, os irlandeses aparecem bem mais motivados para a prova. Há 4 anos e mesmo com um grupo com mais qualidade do que o deste ano, Trapattoni deixou passar a ideia de que a Irlanda pouco tinha a alcançar no Euro 2012. Este ano, Martin O´Neil passa para os seus jogadores a ambição de que é possível surpreender.

A Irlanda de O´Neil é uma equipa aguerrida, ousada que, apesar de dar a bola ao adversário, não tem medo de procurar a baliza adversária, apostando no jogo aéreo e nas bolas paradas, claramente os pontos mais fortes. É na defesa que existem as grandes preocupações. Apesar de ter sido a equipa com menos golos sofridos no seu grupo, o eixo defensivo não dá garantias de segurança, principalmente pela forma em que se encontram os centrais e tendo em conta que do outro lado estão jogadores como Ibrahimovic, Lukaku ou Hazard.

1
2
3
4
5
6
Artigo anteriorRevista do Euro’2016: Polónia
Próximo artigoRevista do Euro’2016: Áustria
O André apoia o Benfica, mas, acima de tudo, gosta de comentar o futebol em geral. Adora assistir às primeiras pré-eliminatórias das provas europeias e é fã do Stoke City.                                                                                                                                                 O André não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.