A CRÓNICA: RED DEVILS SÃO MESMO FAVORITOS

O banco americano Goldman Sachs disse e a Bélgica fez questão de confirmar, eles estão mesmo neste Europeu para tentar levar o titulo, naquele que será muito provavelmente a última tentativa para esta geração nesta competição.

A Rússia tinha a vantagem de jogar em casa, num novo estádio em São Petersburgo, feito para o Mundial 2018, mas a vantagem acabou por ser praticamente nula. Depois do forte abalo que o mundo do futebol sofreu com a paragem cardíaca de Christian Eriksen, o seu companheiro de equipa no Football Club Internazionale Milano, Romelu Lukaku fez questão de fazer um brilharete, confirmando o seu momento de forma, e dedicando a sua exibição ao seu “Chris”.

A equipa da Bélgica explorou muito bem as fragilidades defensivas da Rússia, que além dos problemas defensivos, não mostrou ter capacidade em sair com a bola. Depois da vantagem de dois golos, a Bélgica deixou a Rússia jogar a seu belo prazer, sem que a Rússia conseguisse incomodar minimamente a defesa belga, que se mostrou ao longo de todo o jogo bastante segura. Relembre-se que a Bélgica não pode contar com a sua maior estrela, Kevin De Bruyne, mas isso não foi um problema minimamente.

Anúncio Publicitário

Os russos, nas bancadas, não gostavam daquilo que viam e não era para menos, este era o jogo apontado por todos como o jogo do dia, mas que acabou por ser talvez o pior dos três. Do lado belga esperavam-se mais fragilidades perante a ausência de De Bruyne e do lado russo esperavam-se mais dificuldades pela vantagem de jogar em casa. Nenhum dos dois se confirmou e aquilo que fica desta partida é a confirmação de que a Bélgica é mesmo um caso sério e esta geração quer muito ficar na história do futebol belga como a geração de ouro que levou o caneco para o país.

A FIGURA


Romelu Lukaku – Tarde difícil para o colega de equipa de Christian Eriksen, que anunciou ter chorado muito durante a tarde antes do jogo. Impulsionado por este momento ou não, a verdade é que fez uma excelente exibição e perfila-se para ser o melhor marcador do Europeu. Dois golos.

 

O FORA DE JOGO

Andrey Semenov– A defesa russa, toda ela, demonstrou fragilidades, mas Semenov, por ter oferecido de bandeja um golo a Lukaku, será o principal rosto das fragilidades defensivas de hoje.

 

ANÁLISE TÁTICA – RÚSSIA

A equipa de Cherchesov entrou em campo numa formação de 4-2-3-1, com Dzyuba a ser o pau pra toda obra da equipa, ofensivamente. O valor do gigante russo é inquestionável, mas a aposta da estratégia ofensiva centrar-se em torno de Dzyuba, revela o deserto de ideias que existe nesta equipa quando se fala em processos ofensivos.

Há muito trabalho para realizar nesta equipa, e, num Euro, tempo é aquilo que nenhuma das seleções tem. Resta saber que ilações irá Cherchesov tirar desta fraca exibição da sua equipa. Não há mais espaço de manobra.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Shunin (5)

Mário Fernandes (6)

Dzhikya (5)

Semyonov (4)

Zhirkov (5)

Barinov (5)

Ozdoev (5)

Zobnin (5)

Golovin (5)

Kuzyaev (5)

Dzyuba (6)

SUBS UTILIZADOS

Cheryshev (4)

Karavaev (5)

Diveev (5)

Miranchuk (5)

Mukhin (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – BÉLGICA

A equipa da Bélgica não tem nada que enganar. Um dos aspetos mais mencionados desta muito talentosa geração belga foi a falta de opções para as laterais. Por essa razão, o 3-4-3 tornou-se no sistema tática predilecto de Roberto Martínez, que é, sem dúvida, aquele que melhor explora todas as potencialidades individuais que a Bélgica tem a seu dispor.

Vertonghen e Alderweireld conhecem-se e conseguem jogar de olhos fechados, e isso transmite muita segurança à defesa belga. Ao mesmo tempo, apresenta muito talento no meio campo e no ataque. É um conjunto praticamente perfeito que não apresenta lacunas a nível de nenhuma posição. No próximo jogo espera-se que o selecionador Roberto Martínez já possa contar com Kevin De Bruyne, que certamente trará ainda outro perfume ao jogo belga. São sérios candidatos à vitória final, não há dúvidas.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Courtois (6)

Castagne (6)

Alderweireld (7)

Boyata (7)

Vertonghen (7)

Tielemans (7)

Dendoncker (7)

T. Hazard (7)

Carrasco (7)

Mertens (8)

Lukaku (9)

SUBS UTILIZADOS

Meunier (7)

E.Hazard (6)

Praet (6)

Vermaelen (6)

Artigo revisto por Joana Mendes

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome