Anterior1 de 3Próximo

Ambas as equipas já sem hipóteses de apuramento para a fase de eliminar, restava lutar pela honra e por pontuar para limpar um pouco a imagem deixada nos jogos anteriores. Para isso, claro, todos os olhos estavam postos em Salah e como este conseguiria levar os faraós à vitória para sair da Rússia com a cabeça erguida.

Surpreendentemente, foram os sauditas que entraram melhor, mostrando-se mais organizados e com um plano de jogo que souberam implementar. Os primeiros 20 minutos passaram-se com esse domínio dos de verde, mas faltavam as reais chances de perigo.

Em resposta, aos 22 minutos, os egípcios recuperaram uma bola a meio campo, mandaram um balão para a entrada da área e o génio Salah só precisou de um toque para fazer o chapéu ao guardião adversário e inaugurar o marcador. Logo na jogada seguinte, teve nova oportunidade, mas desta vez a bola saiu ligeiramente ao lado.

Se isso parecia indicar uma mudança no rumo do jogo, foi pura ilusão. Aos 39 minutos, uma bola foi ao braço de um jogador egípcio dentro da área e, consequentemente, penalti para a Arábia Saudita. Fahad rematou, mas Elhadary, que se tornava o jogador mais velho a atuar num Mundial, salvou a situação com uma bela defesa.

O veterano Alhadary ainda defendeu o primeiro penalti
Fonte: FIFA

Se não foi à primeira, seria à segunda. Já na compensação, Ali Gabr faz falta dentro da grande área e oferece novo castigo máximo a favor dos sauditas, com desta vez Salman a converter e a restabelecer a igualdade, com que se iria para intervalo.

Para a segunda parte, já com Warda em campo, o Egito começou a equilibrar a partida e at ter mais pendor ofensivo, mas os sauditas mantinham-se mais organizados e, mesmo tendo sido Treziguet a criar a primeira chance de perigo da segunda metade, foram mesmo os árabes a aproximarem-se mais do golo, com uma jogada de Salman a resultar em mais uma excelente intervenção de Alhadary.

E se os segundos 45 minutos pareciam ser muito menos emocionantes que os primeiros e apenas mais uma coleção demomentos em que a organização saudita anulava a qualidade técnica egípcia, foram mais uma vez os descontos a serem fundamentais. Desta vez, foi em jogo corrido e através de Salem, que colocou a bola no canto da baliza para dar à Arábia Saudita a vitória e mandar o Egito para casa sem um único ponto.

Arábia Saudita: Almosailem; Alburayk, Osama, Motaz, Yasser; Otayf, Salman, Hussain, Hatan (Muhannad 65′), Salem; Fahad (Yahia 79′)

Egito: Elhadary; Abdelshafy, Hegazy, Ali Gabr, Fathi; Hamed, Elneny, Salah, Treziguet (Kahraba 80′), Abdalla (Warda 45′); Marwan (Ramadan 64′)

Anterior1 de 3Próximo

Comentários