Anterior1 de 3Próximo

Bélgica e Inglaterra defrontavam-se em São Petersburgo para o embate do 3.º e 4.º lugar. Com ambos os lados sem qualquer hipótese de conquistar o tão ambicionado troféu, restava apenas lutar para garantir um posto no pódio. As duas seleções reeditavam o duelo da fase de grupos, em que na altura os belgas foram mais fortes e venceram pela margem mínima.

Face aos encontros das meias-finais, os dois selecionadores fizeram algumas mudanças nos onzes: Roberto Martínez alterou duas peças na equipa titular em relação ao jogo com a França, colocando Meunier e Tielemans nos lugares de Dembélé e Fellaini. Já Gareth Southgate promoveu cinco alterações no onze inglês, com destaque para as saídas de Delle Alli e Jesse Lingard.

A Bélgica entrou a todo o gás e chegou cedo à vantagem: ao minuto 4, Lukaku combinou bem com Chadli, que cruzou de primeira para Meunier que, antecipando-se a Danny Rose, fez o 1-0. A Inglaterra ia agora ser obrigada a ter de correr atrás da igualdade, perante uma Bélgica que com um futebol prático e rápido como habituou o público durante toda a prova poderia aproveitar alguns espaços vazios na defesa contrária para ampliar a sua vantagem.

Os ingleses demonstravam alguma dificuldade em construir lances de perigo devido à boa organização defensiva belga, e só tiveram a primeira ocasião de perigo ao minuto 23: num excelente passe do meio-campo de Eric Dier, Sterling serviu Kane, que frente à baliza rematou desviado da baliza de Courtois. Roberto Martínez foi obrigado a mexer ainda na primeira parte: Chadli saiu com dores musculares, e entrou Thomas Vermaelen para o seu lugar.

Sem mais lances de perigo para os dois guarda-redes, o jogo chegou ao intervalo com a vantagem mínima para os belgas, que se assentava bem face ao que se tinha verificado na primeira parte.

Legenda: Thomas Meunier adiantou cedo a Bélgica no marcador
Fonte: FIFA
Anúncio Publicitário

Gareth Southgate fez duas alterações no reatamento do encontro: Lingard e Rashford entraram para os lugares de Danny Rose e Sterling respetivamente, com o objetivo de trazer algo de novo ao ataque inglês. As substituições pareceram ter o efeito desejado, uma vez que a Inglaterra entrou bem no segundo tempo, e a prova disso foi a oportunidade ao minuto 54: Lingard rematou forte, com Harry Kane a não conseguir desviar a bola por pouco.

A Bélgica ia apostando nas transições rápidas para criar situações de perigo, e essa aposta foi reforçada com a entrada de Mertens, por troca com Lukaku. Os ingleses estiveram perto do empate ao minuto 69, através de Dier que, após combinar bem com Rashford, picou a bola por cima de Courtois, contudo Alderweireld impediu o golo em cima da linha de golo.

A Inglaterra começava a carregar em busca do tento do empate, mas quem teve perto de marcar foi a Bélgica: ao minuto 80, Meunier num belo remate de primeira, obrigou Pickford fazer a uma boa defesa. Não foi aí que surgiu o segundo dos belgas, mas sim dois minutos depois: De Bruyne desmarcou bem Hazard, que frente ao guardião inglês não teve dificuldades em fazer o 2-0 e praticamente sentenciou a partida.

O jogo acabou com o 2-0 no marcador, a favor da Bélgica, que esteve melhor que a Inglaterra em grande parte do encontro. Com este resultado, os “Diabos Vermelhos” conquistam o bronze na Rússia e garantiram o melhor lugar de sempre num Mundial.

Onzes Iniciais:
Bélgica: Thibaut Courtois; Thomas Meunier; Jan Vertonghen; Vincent Kompany; Toby Alderweireld; Axel Witsel; Youri Tielemans (Moussa Dembélé 77’); Nacer Chadli (Thomas Vermaelen 39’); Kevin De Bruyne; Eden Hazard; Romelu Lukaku (Dries Mertens 60’)
Inglaterra: Jordan Pickford; Kieran Trippier; Harry Maguire; John Stones; Phil Jones; Danny Rose (Jesse Lingard 45’); Eric Dier; Fabian Delph; Loftus-Cheek (Dele Alli 84’); Raheem Sterling (Marcus Rashford 45’); Harry Kane

Anterior1 de 3Próximo

Comentários