Anterior1 de 3Próximo

Mais um grande desafio dos oitavos de final do Campeonato do Mundo: frente a frente estiveram o pentacampeão mundial, o Brasil, e a seleção do México, uma das responsáveis pela saída precoce da atual campeã do mundo, a Alemanha.

Ao contrário do que era esperado, foi o México a entrar com mais perigo na partida. Com uma pressão alta sufocante e com uma velocidade de processos exímia, os mexicanos iam tomando o controlo do jogo. Nas bancadas ouviam-se olés.

A partir dos 25 minutos, o Brasil começou finalmente a confirmar o estatuto de favorito. Numa primeira ocasião, Neymar tirou o coelho da cartola e obrigou Ochoa a realizar uma grande defesa; oito minutos depois, o guarda-redes do Standard de Liège foi novamente chamado a intervir, desta feita defendendo o remate de Gabriel Jesus.

Até ao recolher aos balneários, as contas mantiveram-se equilibradas, com as duas equipas a não darem qualquer hipótese no momento de transição defensiva. A igualdade a zero era justa, e deixava um bom presságio para aquilo que viria a ser o resto do encontro.

No segundo tempo, o Brasil entrou a todo o gás, e, logo aos 48 minutos, Coutinho atirou com muito perigo, para mais uma boa intervenção de Guillermo Ochoa.

Como diz o provérbio, “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”: numa excelente jogada de envolvimento ofensivo entre Neymar e Willian, o jogador do Chelsea encontrou espaço e fez o que queria da defesa tricolor, facilitando a vida a Neymar, que só teve de encostar. Estava feito o 1-0 no Estádio de Samara, aos 51 minutos de jogo.

O show de Willian parecia ter começado. Por mais do que uma vez, o jogador canarinho, muito forte no um para um, ia deixando jogadores mexicanos para trás, com o seu brilhantismo. No entanto, o “muro” Ochoa estava lá, e, à semelhança do jogo entre as duas seleções no Mundial de 2014, ia sendo um dos protagonistas do encontro.

Ochoa foi mais uma vez um dos protagonistas da seleção do México
Fonte: FMF

Numa altura em que o jogo se encaminhava para acabar sem mais golos, Neymar, com um remate transformado em passe pelo pé de Ochoa, descobriu o recém-entrado Firmino, que com a baliza à sua mercê não vacilou. O “escrete” fazia o segundo na partida aos 88 minutos.

Após a queda prematura de seleções como a Alemanha, Portugal, Argentina e Espanha, o Brasil efetuou uma exibição de gala na segunda parte, e alcançou assim os quartos de final da competição, onde irá encontrar a Bélgica ou o Japão. Com Neymar de volta à sua melhor forma, a seleção canarinha tem agora tudo para conquistar o hexacampeonato, pelo qual o povo brasileiro tanto anseia.

ONZES INICIAIS:

Brasil: Alisson, Fagner, Thiago Silva, Miranda, Filipe Luis; Casemiro, Paulinho (Fernandinho 80’), Coutinho (Firmino 86’); Willian (Marquinhos 90+1’), Neymar, Gabriel Jesus.

México: Ochoa, Edson Alvarez (Jonathan dos Santos 55’), Ayala, Salcedo, Gallardo; Rafa Márquez (Layún 46’), Hector Herrera, Andrés Guardado; Carlos Vela, Lozano, Chicharito (Raúl Jiménez 60’).

Anterior1 de 3Próximo

Comentários