cabeçalho mundial'2014

Clique aqui para ver os golos.
Clique aqui para ver as estatísticas.

O RESCALDO

No grupo E, a grande favorita do grupo, França, defrontava as Honduras, seleção que muito dificilmente conseguirá qualificar-se.
O jogo não foi atípico e como era de esperar a França entrou forte e a pressionar as Honduras. Sem Ribery, Didier Deschamps apostou em Valbuena para completar o meio-campo composto por Matuidi, Pogba, Cabaye e Griezmann, jogador que estava mais perto de Benzema.
Este meio-campo demonstrou uma grande mobilidade, com trocas de posições, que acabaram por confundir uma seleção hondurenha que desde cedo demonstrou que iria ter dificuldade em parar a criatividade francesa.

O perigo chegou cedo e a França não demorou a enviar duas bolas ao poste. Contudo, para qualquer adepto, os ataques organizados por Wilson Palacios davam alento para uma surpresa no jogo disputado no estádio José Pinheiro Borda.
Apesar da facilidade em chegar à área adversária, a França demorou mesmo 45 minutos para chegar ao golo, por intermédio de Benzema, de penálti. Palacios, um dos jogadores mais incoformados das Honduras acabou por cometer uma enorme infantilidade, que viria a ser prejudicial para as Honduras.
Com uma ação em desespero para travar Pogba, Palacios não só fez penálti, como acabou expulso. Benzema marcava o golo e apenas confirmava o favoritismo gaulês.
Já as Honduras ficavam sem o melhor jogador, que acabara expulso, e teriam de correr atrás do prejuízo.

Anúncio Publicitário

A França começava a segunda parte sem qualquer pressão, com um jogador a mais e o expectável aconteceu apenas 3 minutos volvidos, com um auto-golo de Valladares, depois do remate de Benzema, que tinha claro selo de golo, e só não acabou imediatamente nas redes por infelicidade do franco-argelino
O jogo estava sentenciado e as Honduras nada conseguiam fazer perante o poderio da França. Evra e Debuchy apoiavam consecutivamente o ataque e era o suficiente para criar desequilíbrios. Griezmann está a demonstrar uma forma enorme, e foi dos mais espevitados na frente. Faltou apenas o golo. Porém, esse surgiria, mas para o suspeito do costume, Benzema.
Um jogo tranquilo para a França que assume a clara candidatura ao primeiro lugar de um dos grupos mais desequilibrados do Mundial. Ainda para mais com a derrota equatoriana frente à seleção helvética. Ainda assim, Valladares merece uma palavra de apreço devido a uma boa exibição manchada pelo resultado avolumado, e por um auto-golo azarado.

A França arranca o Mundial com uma vitória tranquila Fonte: FIFA
A França arranca o Mundial com uma vitória tranquila
Fonte: FIFA

A Figura:

 Karim Benzema foi a figura do encontro pela sua preponderância no ataque. Marcou dois golos e esteve envolvido no segundo golo francês. Foi um excelente jogo para o francês aumentar os graus de confiança e assumir-se como um dos jogadores-chave da equipa gaulesa. Vamos ver como correm os restantes jogos a Benzema, que tem sido algo descredibilizado pela sua falta de importância no Real.

 

O Fora-de-Jogo:

Wilson Palacios não merecia a expulsão pelo jogo que vinha a fazer. Contudo, a sua irresponsabilidade não só deu a liderança à França como colocou as Honduras com um jogador a menos. Vinha a ser o jogador mais irreverente do meio-campo da seleção sul-americana, porém esta ação fragilizou e de que maneira uma seleção já por si sem grandes esperanças.
Nota ainda para o excesso de agressividade da seleção hondurenha na segunda parte, que transmite alguma falta de fair-play e excesso de inexperiência.

 

Artigo anteriorSuiça 2-1 Equador: A (re)volta do aproveitamento
Próximo artigoArgentina 2-1 Bósnia: Sabella, isto não é o FM
O João Martins é um apaixonado pela Premier League e pelo Sporting. Diz que a sua maior tristeza é ver os seus clubes favoritos afastados dos troféus principais. Seja em Inglaterra, com o Arsenal, ou em Portugal, com o seu clube.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.