Anterior1 de 3Próximo

No Central Stadium, em Yekaterinburg, México e Suécia disputaram um lugar nos oitavos de final do Campeonato do Mundo. Com seis pontos, o conjunto azteca estava em posição privilegiada, mas os três pontos da Suécia e Alemanha não garantiam ainda a passagem do conjunto de Juan Carlos Osorio à próxima fase da competição.

Com a Coreia do Sul eliminada, a luta por dois lugares estava em aberto pelas restantes três seleções. Para garantir o apuramento, bastava ao México um empate, enquanto a Suécia tinha que vencer e esperar por um resultado desfavorável da Alemanha.

Na primeira parte, o conjunto de Janne Andersson entrou melhor e procurou chegar ao golo através de lances de bola parada e de jogo aéreo, que não foram tarefa fácil para Guilhermo Ochoa, que se manteve atento e seguro nas defesas que desempenhou.

Aos 6 minutos, o guardião agarrou a bola fora da área e o árbitro concedeu livre. Na conversão, Forsberg rematou direto para as mãos do mexicano, que sacodiu por cima da trave. Marcus Berg (12’) protagonizou um lance acrobático e, seis minutos depois, Forsberg, de novo, atirou a bola por cima da barra.

Anúncio Publicitário

Do lado azteca, com o apuramento praticamente garantido, mas não seguro, mostrou um ritmo mais passivo, mas sempre em busca de um tento que tirasse todas as dúvidas. Com um jogo consistente, pelas alas e em velocidade, Carlos Vela protagonizou, ao minuto 17, o primeiro lance de perigo, com um remate em arco que passou ao lado da baliza de Olsen.

Aos 29 minutos, Chicharito recebeu a bola com a mão na grande área azteca, despoletando um conjunto de protestos pelo treinador e jogadores suecos. Nestor Pitana recorreu ao vídeo-árbitro, numa altura em que se pedia grande penalidade. Porém, o argentino acabou por conceder canto.

Dois minutos depois, Berg obrigou Ochoa a atirar a bola para longe, com uma defesa apertada para canto.

Os minutos finais do primeiro tempo mantiveram a mesma direção, com o México a criar mais oportunidades, perante uma Suécia que não se deixou ficar. Nos descontos, Berg rematou forte e falhou a baliza por muito pouco. Perante uma consistência a nível defensivo de parte a parte, o resultado manteve-se em 0-0, favorável para as aspirações mexicanas.

A segunda parte arrancou com alta intensidade do conjunto de Juan Carlos Osorio. No entanto, a Suécia foi mais feliz e chegou ao primeiro golo, aos 50 minutos. Claesson cruzou para o lateral Augustinsson, que bateu Ochoa, sem hipótese.

Augustinsson deu início à caminhada sueca rumo à vitória sobre o México
Fonte: FIFA

Após alguma passividade do México, a Suécia protagonizou um lance de contra-ataque, impedido por Moreno, que cometeu falta sobre Berg na grande área. O lance foi polémico e, ainda assim, o árbitro assinalou grande penalidade, sem recorrer ao vídeo-árbitro. Na conversão, ao minuto 62, Granqvist rematou colocado para dentro das redes, fazendo o 0-2.

Com dois golos sofridos, o México foi à procura de um tento que reduzisse a desvantagem. Perante as investidas aztecas, a Suécia mostrou-se mais coesa e consistente, cortando a esperança mexicana de chegar ao golo.

Todavia, isso não aconteceu e a Suécia elevou a vantagem, aos 74 minutos. Após um lançamento, Álvarez foi infeliz e empurrou a bola para dentro da baliza de Ochoa, traindo o guardião. Com este resultado, a Suécia aumentava a vantagem e o apuramento estava cada vez mais perto.

A ansiedade era visível nos adeptos mexicanos, que só olhavam para o telemóvel, para saber o resultado da partida entre a Coreia do Sul e a Alemanha.

Após muito sofrimento, e a vitória por 1-0 dos sul-coreanos, as contas do Grupo F ditam a passagem da Suécia e do México, em primeiro e segundo lugar, respetivamente. De fora, fica, surpreendentemente, a Alemanha, campeã do Mundo em título, e a Coreia do Sul, já eliminada.

Nos oitavos de final, México e Suécia encontrarão o primeiro e segundo classificado do Grupo E, respetivamente.

México: Ochoa; Álvarez, Salcedo, Moreno e Gallardo (Fabian 65’); Guardado (Jesus Corona 76’), Herrera, Layún (Peralta 89’), Vela e Lozano; Chicharito

Suécia: Olsen; Lustig, Lindelof, Granqvist e Augustinsson; Larsson (Svensson 57’), Ekdal (Hiljemark 80’), Claesson e Forsberg; Berg (Thelin 68’) e Toivonen

Anterior1 de 3Próximo

Comentários