Fonte: FIFA

A marcar o início da segunda ronda da fase de grupos do Mundial 2018, deu-se o jogo que colocou frente a frente o Egipto e a Rússia – um jogo decisivo para as duas equipas para a passagem à fase seguinte da competição. A partida ficou também marcada pela estreia de Salah na Rússia, depois de ter ficado no banco no jogo frente ao Uruguai, por estar ainda a recuperar da lesão contraída na final da Liga dos Campeões, no dia 26 de maio.

A primeira parte, apesar de sem golos, foi bastante mexida, ativa e entusiasmante. Um golo era esperado a qualquer momento, vindo de qualquer um dos lados, mas as redes não chegaram a balançar. Foi uma parte bastante dividida, com a Rússia e o Egipto a tentar levar a vitória para intervalo, mas a impressão que ficou foi o cuidado de ambas as equipas. Atrevimento, mas com cuidado ao mesmo tempo, sendo este, possivelmente, a razão do zero a zero ao intervalo. A equipa africana mostrou-se mais assertiva, dinâmica e perigosa do que no jogo frente ao Uruguai, em parte por não enfrentar uma equipa tão forte como os sul-americanos, mas também por contar com a sua estrela na equipa inicial, embora ainda a espelhar limitações.

Salah estreou-se no Campeonato do Mundo, depois de ter falhado o jogo frente ao Uruguai por lesão
Fonte: FIFA

Já a Rússia mostrou-se no mesmo registo que mostrou frente à Arábia Saudita, no jogo inaugural, mas menos eficaz e com uma defensiva mais forte e sólida pela frente.
Logo à entrada da segunda parte, um lance muito infeliz para Ahmed Fathi levou ao primeiro golo do jogo. Cruzamento russo e Fathi, ao se antecipar ao jogador adversário, desviou a bola para a própria baliza. Depois do infortúnio, foi claro que o Egipto acusou o golo e caiu na forma, deixando a Rússia crescer na partida. Tanto assim foi que, aos 59 minutos, Cheryshev marcou o terceiro golo da conta pessoal e o segundo dos soviéticos na partida. Tudo ficava mais difícil para o Egipto, quer o jogo quer a classificação.

A Rússia continuou a crescer e o Egipto a acusar a pressão do segundo golo sofrido. A desconcentração defensiva levou ao terceiro golo da equipa da casa, por Dzyuba. Bola alta à entrada da área a ser mal aliviada pela defensiva e a sobrar para o avançado russo que finalizou e deu o jogo quase por terminado.
A Rússia estava confortável e levou a que os egípcios ganhassem mais espaço e ousadia. A pressão mais alta levou a que Salah fosse derrubado na área e a que o egípcio convertesse com sucesso o seu primeiro golo no Mundial. Pouco depois, houve penalti por assinalar a favor do Egipto, que podia ter dado outra emoção e outro desfecho à partida. A má leitura do árbitro levou a que o resultado se mantivesse 3-1 e assim terminasse.
Em suma, a melhor equipa em campo ganhou. A turma de Salah soube aproveitar os erros do adversário e venceu por 3-1.

Anúncio Publicitário

Foto de capa: FIFA