internacional cabeçalho

Depois dos dois jogos emocionantes de ontem, os ânimos da Copa América voltaram a ficar mais calmos na vitória do Paraguai por uma bola a zero sobre a seleção da Jamaica. Numa partida mal jogada, os paraguaios chegaram aos 4 pontos, ficando em boa posição para lutar pelo apuramento para os quartos de final.

A primeira parte foi inteiramente dominada pela seleção sul-americana, mas sem criar grandes chances de golo. Não é por acaso que o Paraguai é atualmente das seleções menos cotadas do seu continente. Têm um conjunto envelhecido e com muito pouca criatividade, muito pouca magia do meio campo para a frente. Derlis González, titular na partida de hoje, acaba por ser uma pequena luz dentro do meio campo sombrio dos paraguaios. Ainda assim, foram eles que dominaram territorialmente no primeiro tempo, circulando a bola no meio campo adversário. Contudo, esta circulação nunca assustou verdadeiramente a baliza amarela. Existiram algumas tentativas de Derlis González, Raúl Bobadilla e Roque Santa Cruz, mas nunca conseguiram criar grandes dificuldades a Kerr.

O jogo esteve sempre nesta toada morna até surgir o momento caricato do encontro. Aos 36 minutos, Víctor Cáceres lançou uma bola para a frente de ataque, mas com demasiada força, estando o lance condenado ao insucesso. Contudo, Duwayne Kerr, guardião jamaicano que alinha no Sarpsborg 08, da Noruega, quis resolver o lance fora da área, tentando fazer o corte de cabeça. O guarda redes até acertou com a testa no esférico, mas com tanta precisão que cabeceou contra Edgar Benítez, o extremo paraguaio que corria para tentar captar o lançamento longo de Cáceres. A bola encaminhou-se para a baliza deserta e estava feito o primeiro golo da partida. Num jogo mal disputado, com poucos pormenores de qualidade, tinha de ser um erro grosseiro (com alguma infelicidade à mistura) a desbloquear o resultado.

 Foi o joelho de Edgar Benítez que intercetou a cabeçada de Kerr e marcou o golo Fonte: Site oficial da Copa América
Foi o joelho de Edgar Benítez que intercetou a cabeçada de Kerr e marcou o golo
Fonte: Site oficial da Copa América

Na segunda metade, o Paraguai voltou a entrar melhor com dois lances perigosos. Primeiro, foi um livre estudado que resultou em golo mas foi bem anulado por posição irregular; depois, foi Víctor Cáceres a rematar de longe para uma defesa apertada de Kerr. Entretanto, a Jamaica começou a tentar atacar mais um pouco mas, se o Paraguai não conseguiu fazer grande coisa em termos ofensivos, os jamaicanos ainda fizeram menos, praticamente nada que assustasse a baliza de Anthony Silva. Aos 60 minutos, tivemos a melhor jogada do encontro, novamente para o lado paraguaio. O lateral esquerdo Samudio aventurou-se no ataque, correu em direção à entrada da área, tabelou com Bobadilla e disparou forte, com a bola a embater com estrondo na baliza de Duwayne Kerr. Foi uma das raras jogadas do encontro que conseguiu combinar intencionalidade e qualidade técnica.

O treinador alemão dos jamaicanos, Winfried Schäfer, tentou refrescar o ataque com as entradas de Laing e Deshorn Brown, mas Anthony Silva continuou sem precisar de se aplicar para defender a sua baliza. O jogo poderia ter ficado mais facilitado para a equipa orientada por Ramón Díaz perto dos 70 minutos, quando Wes Morgan devia ter sido expulso por agressão a Roque Santa Cruz e, na jogada seguinte, Michael Hector cortou com o braço, dentro da área, um cabeceamento do avançado paraguaio. Esteve mal nestes dois lances o árbitro equatoriano Carlos Vera.

Até final da partida, apenas merece destaque um remate de McCleary que passou a rasar o poste direito da baliza paraguaia e um cabeceamento disparatado de Mattocks, já em período de descontos, numa jogada em que Anthony Silva tinha saído em falso.

Os paraguaios voltaram assim a vencer um jogo na Copa América, coisa que já não acontecia desde 2007. Foi um jogo muito fraco, entre duas equipas muito esforçadas, com jogadores muito possantes fisicamente, mas que, na sua esmagadora maioria, pecam bastante em termos técnicos.

A Figura

Miguel Samudio – É difícil escolher um jogador que se tenha destacado pela positiva neste jogo. Assim, nomeio o lateral esquerdo do Paraguai pela raça que mostra em todas as jogadas, sempre ativo a tentar apoiar o ataque. Além disso, foi dele a melhor iniciativa do encontro, num lance finalizado com um remate à trave da baliza jamaicana. Merecia melhor sorte…

O Fora de Jogo
Duwayne Kerr – É certo que o guarda redes também teve azar, pelo facto de a bola ter ido direitinha para a baliza, após ressaltar em Benítez. Contudo, isso não desculpa o erro grosseiro que cometeu nesse lance. Além disso, houve uma mão cheia de cruzamentos em que o guardião jamaicano também mostrou insegurança.

Foto de capa: Site oficial da Copa América

Comentários