Anterior1 de 3Próximo

Este era o jogo entre as duas seleções candidatas a ganhar o grupo F deste Campeonato do Mundo. A seleção portuguesa já tinha defrontado três vezes a Argentina em que Portugal saiu sempre por cima, ganhando todos os jogos.

Portugal voltou a jogar no Estádio Bielsko Biala, onde tinha ganho por 1-0 à Coreia do Sul. Hélio Sousa, o treinador português, voltou a utilizar o mesmo onze da primeira jornada. Na Argentina foram feitas três alterações no onze, com as entradas de Urzi, Adolf Gaich e Anibal Moreno.

Na primeira parte, a seleção da Argentina procurou desde cedo impor o seu ritmo de jogo. Apesar de haver mais bola do lado dos argentinos, foi a seleção portuguesa que chegou com mais perigo. Aos 15 minutos, Leão a trabalhar muito bem na esquerda, com um remate fraco para a defesa do guardião albiceleste. Logo a seguir, foi Gedson, com um remate da zona central a rasar o poste direito da baliza da Argentina, um remate muito perigoso!

Aos 20 minutos de jogo, Jota novamente, bastante irrequieto o extremo do Benfica, numa jogada individual batendo o defesa adversário, rematou, para defesa de Ruffo. Á meia hora de jogo, Diogo Leite de cabeça, após um canto, quase que marcava o primeiro para Portugal.

Contra a corrente do jogo e no primeiro remate enquadrado com a baliza, a Argentina acabou por chegar ao golo, aos 33 minutos. Começou num pontapé de Ruffo, a bola a sobrar para os argentinos, do lado direito, Alvarez a passar por Vinagre e a cruzar a bola para Adolf Gaich que num toque subtil faz a bola embater na parte de dentro do poste da baliza de Portugal, e esta, a ir para o fundo da baliza portuguesa. Virginia saiu da baliza, mas não conseguiu evitar o remate.

Até ao final da primeira parte, vimos mais algumas iniciativas portuguesas, mas sempre sem muito perigo. A melhor jogada foi conduzida por Diogo Dalot, numa iniciativa individual, a bola acabou por sobrar para Miguel Luís e este do meio da rua, faz um remate defendido a dois tempos por Ruffo.

Leão esteve mais apagado do que no primeiro jogo
Fonte: FIFA

Na segunda parte, as equipas voltaram sem alterações nos onzes. Portugal vinha decidido a empatar o jogo, aos 47 minutos num cruzamento da esquerda, tirado por Rúben Vinagre, a bola atravessou toda a área, sendo que Leão chegou um pouco atrasado ao lance, no entanto chegou para causar o pânico na grande área dos argentinos. Passados quatro minutos, um disparo de longe de Moreno, a fazer a bola embater no poste esquerdo da baliza portuguesa, valeu pelo susto.

Jota era o jogador mais irrequieto, fez um conjunto de remates perigosos à baliza dos argentinos, mas todos eles a serem defendidos por Ruffo. Aos 66 minutos, uma das melhores jogadas de Portugal, através de um passe de Miguel Luís, a bola a chegar a Mesaque Dju que tinha entrado no decorrer da segunda parte e este com um toque subtil para a esquerda, a fazer a bola chegar a Vinagre, que vinha embalado, mas o remate a sair ao lado. Vinagre teve muito espaço, mas não conseguiu empatar a partida. Vinham-se acumulando as situações de perigo!

Portugal aos 73 minutos dispôs de um livre muito perigoso, à entrada da área dos argentinos. No entanto, Gedson atirou um pouco ao lado do poste direito. As oportunidades apareciam e Portugal esteve sempre mais perigoso na segunda parte. Houve boas combinações entre jogadores, especialmente do lado esquerdo, no entanto faltou sempre a finalização.

Leão aos 77 minutos quase que entregava o “ouro ao bandido”, num mau passe, a bola a sobrar para Maroni e este com um passe a rasgar isolou Gaich, que rematou para uma grande defesa de João Virginia. Leão que momentos antes tinha feito um passe sensacional, com uma bicicleta.

Aos 84 minutos, chegou o 2-0 para a Argentina. Barco a bater um livre na esquerda, passando toda a área de Portugal e Pérez só teve de encostar para o fundo da baliza.

Portugal perde na segunda partida deste Mundial. Conseguiu ter mais posse de bola em grande parte da partida, teve mais remates e mais cantos, mas faltou a concretização das oportunidades, e aí a Argentina foi muito eficaz. Com este resultado a seleção albiceleste está nos oitavos de final da prova. Portugal vai jogar com a África do Sul na sexta-feira, no último jogo do Grupo F.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

PORTUGAL: João Virginia; Diogo Dalot, Diogo Queirós, Diogo Leite, Rúben Vinagre; Miguel Luís (sub. Pedro Martelo, 77´), Florentino, Gedson Fernandes; Trincão ( sub. Mesaque Dju, 62´), Jota (sub. Pedro Neto, 88´) e Rafael Leão

ARGENTINA: M.Roffo; Mura, N.Pérez, F.Medina, F.Ortega; A.Moreno (sub. Sosa, 82´), F.Vera, E.Barco (sub. Weigandt, 89´); A.Gaich, J.Álvarez (sub. Maroni, 70´) e A.Urzi

Anterior1 de 3Próximo

Comentários

Artigo anteriorOlheiro BnR: Luciano Vietto
Próximo artigoOs melhores da temporada
O André é licenciado em Marketing e Publicidade e um fã incondicional de ciclismo. Começou desde pequeno a ter uma paixão pelo desporto, através do futebol. Chegava a saber os plantéis de todas as equipas da Primeira Liga! Com o tempo, abriu-se o horizonte e o interesse para outros desportos, como o Ciclismo, o Futsal e, mais recentemente, a NBA. Diz que no Ciclismo existem valores e táticas que mais nenhum desporto possui e ambiciona um dia ter a oportunidade de assistir ao vivo a um evento deste calibre.                                                                                                                                                 O André escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.