Anterior1 de 3Próximo

Na última jornada do grupo A do Campeonato da Europa de sub19, Portugal, campeão europeu em título (também neste escalão) enfrentou a seleção da “casa”, a Arménia. Com objetivos bastante diferentes, os portugueses entravam em campo com a certeza de que um ponto bastava para carimbar passaporte para as meias-finais da prova, mas para atingir o primeiro lugar estavam ainda dependentes da “vizinha” Espanha, que jogava à mesma hora com a Itália. Os arménios, já eliminados, jogavam para cumprir calendário, mas certamente que, diante do seu público, queriam deixar boa imagem.

A seleção portuguesa entrou dominante, com total controlo da posse de bola e a fazer uma rápida circulação da mesma, tentando também, por vezes, valer-se das combinações nas alas entre defesa lateral, médio interior e extremo para desmontar o “autocarro” arménio de forma mais pensada.

Após boas hipóteses de Tiago Rodrigues e Vitor Ferreira, ambas dentro dos primeiros dez minutos de jogo, foi preciso esperar até aos 27 minutos para ver outra oportunidade de perigo, de novo pertencente à “equipa das quinas”: um livre descaído para a direita, cobrado por Fábio Vieira e sem sofrer qualquer desvio, obriga Melkonyan a defesa apertada, enviando a bola para canto.

Portugal continuou a impor um ritmo elevado na partida e, ao minuto 34, surgiu a recompensa para o duro trabalho: através da conversão de uma grande penalidade conquistada pelo próprio, Vitor Pereira colocou a bola nas redes, mesmo ao centro da baliza. Apesar do claro ascendente português, logo ao minuto 36 a Arménia dispôs de uma oportunidade de ouro para reestabelecer a igualdade, com Celton Biai a fazer uma defesa fantástica a um remate à queima-roupa, disferido por Misakyan.

Até ao intervalo nada de relevante aconteceu, com os jovens lusitanos a manterem o controlo da partida e a tentarem aproveitar o espaço que a equipa arménia dava nas costas da sua defesa. Chegava o descanso e Portugal vencia com justiça, merecendo talvez um maior volume no placar.

Fonte: UEFA

No reatar da partida, Portugal não retirou o “pé do acelerador” e João Mário assinou, ao minuto 49, uma verdadeira obra-prima: o remate inicial, de Vitor Ferreira, ressaltou na defesa da Arménia e o avançado do FC Porto, após um exímio domínio de bola, disferiu um colocadíssimo pontapé que entrou mesmo na “gaveta”, sem hipóteses para o guardião arménio. O resultado avolumava-se mas Portugal não queria parar, pois sabia da importância que cada golo iria ter se fosse necessário desempatar as contas do primeiro lugar do grupo, em caso de igualdade pontual com a Espanha.

As oportunidades continuavam a surgir, mas a pontaria portuguesa parecia estar a ficar desafinada, após Costinha e João Mário falharem duas boas oportunidades já dentro da grande-área adversária. Foi preciso colocar em campo Tiago Gouveia para voltar a mirar a baliza arménia com precisão: ao minuto 68, apenas cinco após ter entrado, o extremo do SL Benfica antecipou-se ao lateral esquerdo da Arménia e deu resposta positiva ao cruzamento de João Mário.

O jogo continuou perigoso para a Arménia, sem que Portugal mostrasse sinais de desaceleração no ritmo que estavam a impor, surgindo o quarto golo lusitano de forma natural. Como Tiago Gouveia não quis ficar atrás do grande golo que João Mário havia apontado, o extremo voltou a “fazer o gosto ao pé”, à passagem do minuto 88’, também com um golo magnífico! Tirou um adversário do caminho e rematou cruzado e colocado, fazendo a bola beijar a malha lateral interior da baliza arménia. Sublime!

Até ao fim do jogo poucas foram as oportunidades que surgiram, com a nossa jovem seleção a saber controlar a posse de bola, pensar o jogo e não entrar em esforços desnecessários, mas sem nunca perder o caudal ofensivo que a caracteriza e que tem evidenciado, em particular, nesta fase final.

Perante a vitória da Espanha sobre a Itália por apenas 2-1, Portugal assegura o primeiro lugar do grupo com sete pontos, os mesmo que “nuestros hermanos” mas com vantagem na diferença de golos, critério de desempate, evitando um confronto com a França nas meias-finais e ficando à espera do dia de amanhã para saber se enfrenta Noruega, República da Irlanda ou República Checa.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

Portugal: Celton Biai (Francisco Meixedo, 85’); Costinha; Gonçalo Loureiro (Levi Faustino, 85’); Gonçalo Cardoso; Tomás Tavares (Tiago Lopes, 69’); Diogo Capitão; Vitor Ferreira; Fábio Vieira (Rodrigo Fernandes, 63’); Félix Correia (Tiago Gouveia, 63’); João Mário; Tiago Rodrigues.

Arménia: Melkonyan; Oganessian (Samsonyan, 62’); Ghubasaryan;Yeghiazaryan; Khachatryan; Khamoyan; Mkrtchyan; Alaverdyan (Grigoryan, 62’); Petrsoyan (Dermedjan, 72’); Misakyan (Azizyan, 58’); Kurbashyan (Kolozyan, 62’).

Anterior1 de 3Próximo

Comentários